domingo, 17 de maio de 2009

English Night

Não tenho tido nada para dizer ao mundo ultimamente. Também não tenho passado muitos dias em casa.

No entanto, ontem sai com o Maximo e fomos a uma festa. A festa estava apinhada de alemães.
Porquê?
Não sei.

Sei que as meninas até eram giras.

Depois fomos até a um bar no centro da cidade e pronto.
Cai tudo por terra abaixo.
No bar enorme, estavam cerca de 75-80% homens e o resto em mulheres. Da parte dos homens só se vêem ingleses brancos, grandes (não de músculos mas grandes disformes tipo Rooney) e as meninas são absolutamente de vomitar.

Passo a explicar:

Aqui a cultura do fast-food e dos fritos faz com que elas metam peso não aos quilos, mas às toneladas.
Sim, são gordas como baleias e elefantes. Imaginem que Deus combinou os genes gordurosos da baleia azul com o do elefante africano e criou assim a mulher inglesa. Depois temos a imagem. Sim, a imagem é o que dá o toque de deslavada. Roupas justas e curtas é o lema. Mesmo com a gordura a sair pelas bordas elas não se intimidam de meter brutais mini-saias em que se pode contemplar com grande alegria as varizes e a gordura acumulada à volta dos pobres ossos que sustentam o dito paquiderme.

Mas ainda têm a subtileza de combinar diversas aberrantes cores. Eu não sou gay mas sei ver quando um top verde claro não combina com uma saia vermelha com uns sapatos "à tigre". Mas isto sou eu, porque aparentemente todos os outros belos rapazes orelhudos e aos berros gostam de roçar as suas barrigas flácidas e sem pelos nas banhas laterais das meninas.

Para finalizar queria dizer o que já disse em Portugal. Qualquer menina que se sinta mal com o seu aspecto, venha até Inglaterra e verá que é uma deusa...

0 Comentarios: