domingo, 31 de maio de 2009

Man on the Moon



A small step for man, but a giant leap for Mankind.

O mundo viu estas palavras em directo, a serem proferidas a mais de 380mil km de distância. Foram ditas enquanto pisava o fino pó lunar que Galileu Galilei tinha visto há mais de 500 anos atrás. Foram ditas enquanto o mundo via o primeiro ser humano a caminhar em terrenos anteriormente exclusivos dos Deuses. Foram ditas enquanto passeava noutro corpo celeste.

A Lua.

Durante toda a existência humana sempre fascinou os olhares e a imaginação do homem. A mais antiga representação da Lua feita por mãos humanas data de há mais de 5 mil anos atrás. Desde de então a Lua foi alvo de todas as fontes de arte, desde a literatura, passando pela pintura, até à mais primitiva imaginação humana.

Desde os antigos gregos, há cerca de 2500 anos atrás, como Anaxagoras que entendiam que a lua era uma "esfera sólida" que reflectia a luz solar até a Aristóteles que definiu a Lua como a fronteira entre a Terra e as "estrelas".
Em 1609, Galileu Galilei, do seu observatório em Padova, onde tive oportunidade de visitar, viu através do seu telescópio que a Lua tinha montanhas e crateras contrariando a crença popular de que a Lua era lisa e macia.

Acima de tudo isto, a Lua sempre teve uma um lado desconhecido. Devido ao baile entre a sua rotação e a rotação da Terra, é impossível para qualquer criatura terrestre, contemplar uma parte da Lua. A chamada face oculta da Lua. Só apenas nos anos 60 foi possível tirar fotos, por satélite, desse lado incógnito ao olhar humano.

Durante os 30 mil anos que a Humanidade tem de existência, durante o fascínio do Homem ao contemplar a Lua, sentado na sua gruta, sentado no topo de uma montanha, sentado junto ao mar...

...durante a existência de todos os povos e culturas, desde os antigos primitivos que usavam a Lua para caçar, desde os antigos Gregos que suspiraram palavras de poesia e fascínio, desde os Romanos que marchavam por essa Europa fora tendo a Lua como sua única companhia nas eternas noites de batalha, desde à Idade Média que viu Leonardo da Vinci passear nos corredores da sua casa em Florença e a pintar o quadro da Mona Lisa, desde Edison que inventou a lâmpada e que permitiu à Humanidade deixar como recordação as infinitas noites em que teve que andar sob a luz incessante e eterna lunar a iluminar os bosques e entremeios escuros...

...durante esses 30 mil anos que o Homem sonha com a Lua...

...tiveram o seu auge, quando um da nossa espécie, teve o privilégio de pisar esse lugar onde os sonhos são feitos...

Para além de todo o fascínio que esse evento possa ter trazido, o mais importante foi ver a Humanidade a alcançar e ultrapassar metas impossíveis. Pela primeira vez tocámos ao de leve no Espaço e fomos mais além...caminhando entre os deuses...


0 Comentarios: