terça-feira, 19 de maio de 2009

Manchester United



Quem me conhece sabe muito bem que sou um gajo inteligente e bués de gostoso.
Sabe também que sou adepto do Manchester United. Até mais do que o meu Sporting...

Sempre vibrei com a magia que o Manchester United emanava. Aquela lenda que é o clube. O poder incrível quando entra num campo. A grandiosidade de Old Trafford. O chamado "Teatro dos Sonhos".

Falo no Manchester porque foi campeão do Campeonato inglês neste último fim-de-semana. E agora prepara-se para defrontar o campeão espanhol - Barcelona - na final da Liga dos Campeões. Vi o jogo que os sagrou campeões e vibrei com a festa.

A história do clube é grandiosa e a primeira vez que me lembro do clube foi através dos pés de Eric Cantona. Um homem que fazia magia. Não tanto como um Zidane, mas era um jogador do catano. Depois vieram os livres mágicos de Beckham e o substituto de ouro, o norueguês Solskjaer, que sempre que entrava, pimba, marcava um golo.

Os lendários e veteranos Paul Scholes e Ryan Giggs ainda jogam por lá e ainda fazem maravilhas de espantar os mais jovens.

Depois temos o nosso Ronaldo. Sim. Também é bom, muito bom a jogar. Mas ele não faz o Manchester crescer. O Manchester é que o faz crescer a ele.

Interessante verificar que a camisola número 7 sempre foi envergada por lendas no clube como George Best (considerado um dos melhores jogadores de sempre), Eric Cantona, David Beckham e agora o melhor jogador do mundo - Cristiano Ronaldo.

Deixo-vos com uma preciosidade de Eric Cantona, que disse uma vez:

"Eu não sou um homem, eu sou Eric Cantona"


0 Comentarios: