terça-feira, 9 de junho de 2009

Sesame Street...

Há uma música que não me sai da cabeça. É daquelas coisas que se ouve e que se tenta saber quem é que canta. Eu ouvi num dos episódios da grande série Scrubs (a que dedicarei um post mais tarde) e ficou-me no ouvido. Fui pesquisar com unhas e dentes quem é que cantava e agora não consigo de parar de ouvir... A minha amiga Rita, que falei no post sobre a Biologia na Universidade de Aveiro, cunhou com o termo "worm music" (acho eu) essa coisa de ouvir uma música uma vez e parece ser uma lombriga que se mete no ouvido e entranha-se no cérebro para o resto do dia.

A música é de Joshua Radin e é uma versão da música da Rua Sésamo. Aconselho a ouvir enquanto lêem o resto do texto. Assim poupam tempo.



Porque o tema da música leva-me a escrever um bocadinho sobre a Rua Sésamo.
Parece-me que nos dias de hoje, os momentos dedicados para as crianças estão cheios de trampa de desenhos-animados. Parece que os desenhos agora são mais simples, mais infantis. Parece que o pessoal encarregue de trazer bom material televisivo simplesmente desistiu e começou a meter trampa para ocuparem os olhos e mentes dos mais novos...

Eu lembro-me de ver um bom Bugs Bunny (com legendas), ou um bom Scooby-Doo (em brasileiro). São desenho animados antigos mas com a magia que não se consegue repetir hoje em dia. Comparem o traço do desenho de um Bugs Bunny com a trampa de hoje dia chamada Pokemon.


Desenho mais concreto, mais objectivo com cores simples mas fáceis de saborear. Há ali uma expressão notória na cara dos personagens.


O que é isto?Eu não sei onde é que começa um bicho e acaba o outro. É muita poluição visual. Muita cor junta, muito bicho estranho. Não há uma mensagem directa e simples para os mais novos.


Reparem só no ridículo deste desenho. Parece não haver curvas. Tudo muito simples, muito recto. Parece que o autor quer desenhar tudo de uma só vez, sem levantar o lápis. Reparem no toque das botas, parece que se fundem uma na outra. Não sei se é uma perna de cada lado e no meio está o "zé carioca" do boneco a pender como um pêndulo.


Bom, mas isto leva-me à Rua Sésamo. Lembro-me de ser puto e ir ver todos os dias o programa. Lembro-me de ver a Alexandra Lencastre, o Victor Norte na companhia dos fantoches. Lembro-me de ensinarem a contar, a escrever com as letras, etc. Lembro-me de ver o programa a esforçar-se para tentar ensinar alguma coisa de bom aos miúdos. Hoje em dia parece que isso se perdeu um pouco. Nem sei porque é que deixaram de transmitir o programa há anos atrás. As audiências não eram boas? Os programas infantis são melhores hoje em dia?

O problema é que pensamos que os miúdos gostam de ver os desenhos de hoje em dia, mas se colocássemos um bocadinho de esforço na coisa, poderiamos produzir coisa muito melhor que a trampa que passa na televisão. Não sei o que é que eles vêem agora, mas sei que uma Rua Sésamo não iria certamente matar ninguém.

Nos EUA "Sesame Street" estreou em 1969, há cerca de 40 anos atrás, ainda estando a ser produzida, tornando-a na série mais longa da História. Em 2006 já tinha arrecadado 106 Emmys (os Oscars da televisão) e tem cerca de 77 milhões de espectadores nos EUA. Ao usar uma combinação de fantoches (criados pelo génio de Jim Henson) com actores reais, a série estimula as mentes mais novas a melhorarem as suas capacidades de visualização e reconhecimento de letras, palavras, aritmética básica, formas geométricas, classificação, solução de problemas fáceis e socialização. Atravessar a rua correctamente, métodos de higiéne e alimentação correctos são alguns de outros exemplos dos objectivos da série, juntamente com o tentar ensinar a lidar com situações da vida real como "divórcio", "morte", "gravidez", "nascimento" e "adopção" bem como lidar com emoções de amor, raiva e ódio. O humor usado na série é bastante apelativo para os mais velhos que assim ficam juntos dos filhos a ver a série, ajudando no processo de aprendizagem. Foram inúmeras as personalidades/celebridades que por lá passaram.

Durante mais de 40 anos este programa ensinou os mais novos e agora ensina os filhos dos pioneiros que viram nascer o programa e talvez ensine os netos desses mesmos. Há que louvar programas e iniciativas assim.

Queria deixar-vos com um clip da Rua Sésamo com o Robert de Niro, mas fartei-me de rir com a dupla Elmo + Ricky Gervais. Brilhante.

0 Comentarios: