sábado, 5 de setembro de 2009

Bourne...Jason Bourne...



Existem poucos filmes que colocaria na minha estante imaginária. Dessa mão chão cheia de filmes, teria que colocar apenas uma trilogia. Uma e uma só trilogia.

Não. Não é o "Senhor dos Aneis". Esse bem podia ir para o balde de vomitado.

Trata-se da brilhante trilogia baseado nos livros de Robert Ludlum.

Bourne Identity

Bourne Supremacy

Bourne Ultimatum

Não existem assim em mais nenhum canto do mundo, três filmes encadeados que estejam tão perfeitinhos como estes. A trilogia Bourne é mesmo um avanço na visão de re-inventar um assassino. O Bond louro foi cheirar essa essência de espião duro, frio e implacável para re-criar o famoso agente 007 em que dá mais pancada e bebe menos Martinis.



Até ao aparecimento do Bourne, os assassinos contratados eram apenas pedaços de carne que existiam nos filmes para dar um pouco de drama e suspense. Normalmente o protagonista conseguia sempre livrar-se destes incômodos. Mas com Bourne, não há vítima que conseguisse escapar. Com Bourne não sabemos o que é que ele está a fazer, mas por muito que os passos e jogadas dele pareçam aleatórias e sem nexo, nós sabemos que ele tem um plano engendrado na cabeça dele e que tudo o que ele faz não é por acaso.

Estou a falar disto, porque hoje no Hollywood vi um bocadinho do primeiro filme: "Bourne Identity". Quando o vi pela primeira vez em ante-estreia no cinema foi uma lufada de ar fresco na monotonia. Quando os outros dois filmes seguiram, conseguiram a proeza muito rara de termos sequelas a superarem o primeiro filme. Caso semelhante aconteceu com Dark Knight.

Bourne Ultimatum, considerado o melhor filme de 2007 pela Empire Magazine e com 3 oscars na bagagem, consegue superar tudo e todos. Não creio que nunca o capítulo final de uma trilogia conseguiu ultrapassar a qualidade dos filmes que o antecederam. O que eu acho que seria o toque de perfeição era deixarem estar as coisas como estão, mas aparentemente estão a pensar transformar a trilogia numa saga e trazer ao ecran um quarto Bourne - Bourne Legacy. Para mim deixava-se estar o que é bom quieto e parado, porque o nível de qualidade deste quarto filme tem que ser muito alta ou só virá destruir a beleza perfeita da trilogia. Mas vamos lá ver...



Recomendo vivamente para o ser humano (que deve viver nas cavernas) que nunca viu o filme, para pegar em si e ir ao próximo videoclub alugar os 3 filmes e passar mais de 6 horas a ver tudo sem pestanejar. É até sangrarem de emoção que conseguem sentir na pele o brilho que esta trilogia traz ao nosso mundo.

O que também gosto desta trilogia é que o homem anda pelo mundo inteiro sendo a Europa um dos destinos preferidos. Só lá faltava Portugal e ver o gajo andar pelo Porto a ser roubado pelos gunas. De reparar ainda que no primeiro filme ainda lá aparece um "desconhecido" Clive Owen tímido.

Matt Damon destaca-se aqui do seu amigo Ben Affleck como um actor muito mais completo. É giro ver que no mesmo ano que sairam os Ocean Eleven, Twelve e Thirteen viamos um Matt Damon a interpretar uma personagem tímida, amadora e novata e depois viamos ao mesmo tempo nos filmes Bourne um homem profissional, frio e implacável que arrastava tudo o que se lhe atravessasse no caminho.

Damon para mim é um actor do caneco. Desde a brilhante obra prima "Good Will Hunting"(O Bom Rebelde) que deu o Oscar a ele e Ben Affleck pelo argumento e deu outro oscar ao grande Robin Williams, que o seu currículo é um dos mais completos de Hollywood. Em pouco tempo participou em obras como:

O talentoso Mr. Ripley
Dogma (filme brilhante que falarei noutro post)
Good Will Hunting
Rounders
Ocean's 11,12,13
Syriana
The Departed (outro grande filme)
O Bom Pastor (um filme de Robert de Niro)
Bourne Trilogia

...e muitos outros menos conhecidos como "The Legend of Bagger Vance" e uma curta aparição no brilhante "Finding Forrester" com o Sean Connery.

Com este currículo, Matt Damon projectou-se a milhas de distância do seu amigo de infância Ben Affleck. Aliás, enquanto estava a filmar "Ocean's 12", ele era, no meio de tanta estrela galáctica como George Clooney, Brad Pitt e Julia Roberts, o actor que tinha mais ofertas de trabalho como por exemplo o Robert de Niro a quere-lo para o seu filme - "O Bom Pastor". Ou ainda Martin Scorcese a mete-lo no meio do dinossaurio Jack Nicholson e Leonardo di Caprio em "The Departed".



1 Comentarios:

JB disse...

....curiosamente essa trilogia existe na minha prateleira de DVD's... pode ser tua por uma módica quantia a determinar... de 4...ou 5 digitos...