segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Especial Eleições V: Os próximos 4 anos...



Sobre estas eleições começo por dizer que a abstenção descreve o nosso comportamento cívico. E não me digam que é porque "não concordam com o sistema de voto". Isso é merda para os meus ouvidos.

Agora passo a dizer o que toda a gente já sabe - o PS ganhou.
Para aqueles que não votaram no PS e se sentem bem por terem desfeito a maioria, lembrem-se que a maioria não será importante nem irá obrigar o PS a dançar com a direita (CDS) para aprovar projectos. Lembrem-se que à esquerda encontra-se muita (mais) boa gente...

A maioria num segundo mandato não é importante (embora fosse útil) porque para haver essa maioria, então que houvesse nos primeiros 4 anos e meio. E assim foi. Naqueles primeiros tempos onde a merda estava tão instalada, pelo PSD + CDS (com a equipa Durão, Manuela, Santana e Portas), seria obrigatoriamente necessária uma mão de ferro para meter isto no sítio. E traduza-se essa mão de ferro por reformas na função pública, na educação e saúde. E essa mão incomodou tanta gente, principalmente na função pública.

Agora vejamos os resultados (não contando com os círculos eleitorais no estrangeiro).

Ironicamente o PS foi o vencedor e o perdedor da noite. O PS é assim catano. Não se contenta só com a vitória. O PS é o único partido a perder votos em percentagem em comparação com 2005. É o único partido a dar o tombo. Mas a beleza é que se pode dar ao luxo de tombar e ainda continua a ganhar no fim.

Com o PSD a desgraça não fugiu muito de 2005, embora tenha conseguido mais 3 ou 5 novos deputados a percentagem de diferença foi de apenas 0,32%. Nem chega a meio ponto percentual (0,5%). Teve cerca de menos 7 mil votos do que em 2005. Como é natural na trampa (e na sede do poder) do PSD, já se querem ver cabeças a rolar. O mesmo sucedeu quando Marques Mendes (esse tinhoso) pedia na mesma noite a cabeça de Santana Lopes em 2005.
Este resultado do PSD só mostra o trabalho de oposição que tem vindo a fazer nestes últimos 4 anos - nenhum.
Pronto. Vá, fez uns 0,32% de oposição. Serviu para afastar as moscas ali da mesa do Sócrates...

O Bloco de Esquerda prometia, mas ficou um bocadinho aquém das expectativas. Parecia um Pulp Fiction com grandes nomes e um estilo diferente e no fim quem ganhou foi o deficiente do Forrest Gump - leia-se Paulo Portas. No entanto o BE conseguiu duplicar o número de deputados fazendo a subida mais significativa do partido que tem apenas 10 anos de vida. Um jovem no meio dos outros dinossauros.

Pois é. Portugal não conseguiu disfarçar a sua burrice e lá conseguiu dar mais 9 deputados ao CDS. São mais 9 camelos e anormais que vão sentar o cu na Assembleia da República a ler "A Bola". Mas pronto. Não há hipotese contra a estupidez.

Mas em relação aos próximos 4 anos, tenho que admitir que o PS agiu no passado com arrogância em certos assuntos e agora é bom ver Sócrates a ter que satisfazer (moderar) as suas atitutes. E o giro é que tem mais amigos à esquerda, do que à direita. E isso deixa-me contente. Foi o melhor resultado que podia ter acontecido...

Há mais para daqui a 4 anos (esperemos).


0 Comentarios: