quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Inacreditável...



O que me atraiu nesta história não foi o caso em si. Foi mais o suporte dado pelo crime horrendo que o homem recebeu da própria mulher.

Então o que aconteceu foi o seguinte:

Um homem marroquino de 42 anos, a viver há 8 anos em itália, matou a filha. Não lhe deu um tiro, nem a incendiou. Apenas degolou-a. A questão aqui é que o homem era devoto a Alá (islamista), tal como a filha. Mas a filha namorava (contra vontade do pai) com um rapaz italiano católico.

Após insistência do pai para a filha largar o namorado, este seguiu os dois e esfaqueou o namorado e correu atrás da filha que entretanto fugiu para um bosque. O pai quando a apanha resolve cortar-lhe o pescoço.

A notícia é extremamente terrível. Um pai a matar a sua própria filha apenas, e repito APENAS, por motivos religiosos é de uma coisa impossível de conceber. Mas fanáticos existem em todo o lado e em todas as religiões.

O que me incomodou foi que aparentemente este acto de loucura por parte do pai, recebe suporte e apoio da mulher e mãe da vítima.

O que a mãe diz é:

"...ela (a filha), de uma maneira ou de outra, estava a pedir para ser assassinada."

"A Sanaa (a filha) estava bem connosco, nunca devia ter saído de casa. A única coisa que o pai não queria era que ela saísse à noite com rapazes."

"O meu marido também errou, mas ele é o pai dos meus filhos, estamos casados há 22 anos, não faria sentido não perdoá-lo por isto."

Ou a loucura foi contagiosa e apanhou a mãe também ou simplesmente isto ultrapassa os limites de um caso isolado de atrasado mental com uma faca na mão. Vemos aqui que este crime hediondo recebe apoio da própria mãe.

Tudo porque o Deus a quem rezavam era outro...

2 Comentarios:

Casaco de Couro disse...

Não vou ter que voltar ao mesmo assunto que, esse sim, é o cerne da questão.
Começa por F e, ta quase la, mas não é a Faca assassina do pai.

Nando disse...

Nao rezava para um deus diferente... mas sim para o mesmo, no entanto com um outro nome