sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Resposta Comentário Hondt...

Foi feito um comentário a um post meu sobre o método de Hondt. O grande Paranoid Android (que é uma grande música dos gigantescos Radiohead) disse o seguinte:

"Epa...sinceramente ha merda aí que nao percebi. Aquela tabela com os votos por cada partido...isso é um dado adquirido? ou de onde surgem aqueles valores? E porque é que temos 8 candidatos em 1000 cidadaos recenseados? qual é o factor de proporcionalidade? e as iteraçoes terminam em quatro? porqueh?
lol

obrigado...! ;P "

Ora bem. Cabe-me apenas responder aos comentários que gentilmente deixam aqui no meu estaminé...

Então vamos lá relembrar o que é o Método de Hondt e essas coisas todas.

Em primeiro convêm relembrar que Portugal está dividido em Círculos Eleitorais que basicamente correspondem aos destritos administrativos e que, em termos de Portugal Continental, correspondem a 18 círculos eleitorais.

Nestes círculos eleitorais podem ser eleitos X deputados que depende da quantidade de eleitores recenseados que esse distrito contêm. Ou seja, para cada X eleitores recenseados é eleito um deputado naquele círculo eleitoral. Existe aqui uma proporcionalidade directa que não sei ao certo a quantidade correcta. Não sei se em cada mil eleitores recenseados se pode eleger um deputado, ou se em cada dez mil eleitores recenseados pode eleger um deputado. Não sei ao certos os valores da proporção...

No entanto, a título demonstrativo, eu dei o exemplo da minha grande cidade -Aveiro. E afirmei que iria dar um exemplo hipotético em que iria imaginar Aveiro com mil eleitores recenseados e que a proporção seria 1000 : 8, ou seja em cada mil eleitores, podiam ser eleitos 8 deputados. Mas afirmei isto sem saber o que estava a falar, porque era apenas um exemplo.

Portanto. Temos um Aveiro imaginário com mil eleitores recenseados e 8 deputados prontos para serem eleitos naquele círculo eleitoral (Aveiro).

Agora que temos estes valores na cabeça, irei relembrar o que é o método de Hondt. Este método foi inventado por um senhor chamado Hondt que basicamente criou uma equação que fornecia um método justo e equalitário de eleger deputados. A equação era muito simples e traduzia-se na seguinte.



Onde V é o número total de votos apurados para a lista e s o número de lugares já colocados na lista em cada iteração do cálculo.

Parece complicado mas é simples!

Pegando no nosso Aveiro imaginário onde temos 1000 eleitores e 8 deputados para serem eleitos, imaginem que os resultados das eleições seriam estes:



Até aqui tudo simples. Um simples resultado eleitoral para o círculo eleitoral de Aveiro imaginário.

O passo seguinte será pegar na equação de Hondt e aplicar os resultados. Lembrem-se que o "V" será SEMPRE o resultado bruto (p.e. os 380 para o PS). E que o "s" será sempre "0", depois "1", depois "2"...por aí adiante...

Então para o caso do PS apenas (porque não vou estar aqui a demonstrar para os outros partidos) a equação de Hondt aplica-se da seguinte maneira:

V/(s+1)

380 / (0+1) = 380
380/ (1+1) = 190
380/ (2+1) = 126,6
380/ (3+1) = 95
. . .

Reparem que o "S" é sempre o valor dos resultados eleitorais do partido em questão e que apenas o "s" vai variando numa ordem crescente positiva.

Agora basta aplicar o mesmo processo para os outros partidos e obtemos a tabela seguinte:


Espero que até aqui esteja tudo em ordem...
Aproveito para responder que as iterações (aqueles valores à esquerda da tabela que vão de 1 a 4) terminam em 4 porque como vamos ver mais à frente não valia a pena continuar com 5 ou 6 porque na iteração 4 já temos todos os deputados (os 8 deputados) eleitos. No entanto se tivessemos mais deputados por eleger, então seria necessário continuar com o processo matemático até termos todos os lugares (deputados) preenchidos.

Agora o passo final é olhar para aqueles números todos e irmos colocando deputados numa ordem descendente de valores. Então o primeiro lugar vai para o PS porque 380 é superior a qualquer outro número na tabela. O segundo lugar vai para o PSD porque 280 é o 2º valor mais alto da tabela. O terceiro lugar vai novamente para o PS porque 190 é o 3º valor mais alto da tabela e assim por diante.

Então a distribuição de mandatos (lugares na Assembleia) segue a tabela de baixo:



Se reparem, entre parêntesis, encontra-se a ordem de colocação dos lugares.
Agora vem outra parte importante. É que neste nosso exemplo hipotético eu coloquei propositadamente 8 deputados a serem eleitos. Também coloquei os resultados eleitorais de modo a que ao decidir o 8º deputado as contas dessem valores iguais para o partido do PS e o partido do CDS em que o valor é 95 (amarelado). Fiz isto para introduzir aqui o factor de discriminação positiva em relação às minorias. Este factor existe para dar hipotese aos partidos menos votados, para que tenham hipoteses de serem representados. Como neste caso há um empate entre o PS (já com 3 deputados eleitos) e o CDS (ainda com nenhum deputado eleito), então em caso de igualdade númerica (95 amarelado) elege-se o deputado que pertence ao partido MENOS representado.

Bom, espero que tenha conseguido responder às dúvidas.
Pode parecer uma seca estar a ler, mas é importante saber como é que o nosso voto é processado na nossa máquina democrática.



5 Comentarios:

Anónimo disse...

És grande!

Anónimo disse...

Porra pá!!! não tens mesmo nada que fazer!!!!!!!
As explicações pagam- se caras.... não achas???????
Se esse gajo não percebeu ,então vá perguntar ao Sócrates.





Zézèmamoilas.

Anónimo disse...

Por falar em eleições e deputados, há 16 dicas que os novos eleitos para a A.da República devem saber para assim se poderem tornarem verdadeiras estrelas parlamentares...
Vou começar pela 5ª.
5ª- Faça greve da fome.
-" Foi esta a forma que Daniel Campelo arranjou em 2000,para lutar pela devolução do queijo limiano à sua terra de origem.Depoisde uma multinacionalo ter adquirido a fábrica e transferido a produção para Vale de Cambra, o deputado do CDS passou dias e noites sem comer, no seu grupo parlamentar".

Sempre que me for possível irei pondo as restantes "dicas"...pode ser proveitoso para um qualquer candidato a parlamentar.....



Xiquinho o patarata

johnnie walker disse...

Fica aqui então o início das dicas...

mt obrigado!

Anónimo disse...

Então aqui vai mais uma "dica"
É a 7ª

-Escolha bem o lugar-.
Tente entrar para a direcção da sua bancada para ter lugar assegurado na primeira fila.Se não conseguir, tente sentar-se na última.É um local de prestígio,onde encontra os "senadores"parlamentares. Mas se prefere ser visto em casa, escolha a segunda fila.Na última legislatura, alguns deputados socialistas chegavam mais cedo ao plenário para reservarem cadeira.Tinham audiência garantida no Canal Parlamento.


Xiquinho o patarata