domingo, 31 de janeiro de 2010

House MD

Tenho que recomeçar a ver isto outra vez...


Leia Mais…

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Prenda?

Pois é meus amigos.

Vai fazer, no dia 3 de Fevereiro, cerca de 13,665 mil milhões de anos desde altura que eu nasci.

O que oferecer como prenda de aniversário para comemorar?
Isto:





Para saber mais sobre o Ipad e como comprar, cliquem aqui. Para a apresentação no Youtube, cliquem aqui.

Leia Mais…

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Inflação em 3D...



Lembram-se deste post?
Eu não.

Tenho que começar a comer mais uvas. Dizem que ajuda a memória.

Seja como for, naquele post acima, eu falava na injustiça de os filmes de hoje serem rotulados como os mais lucrativos de sempre e tal. E referia-me ao facto de que a inflação faz toda a diferença.

Há 20 anos ou 40, os bilhetes não custavam os 5 euros que custam hoje. E isto vem a propósito de ter lido uma grande crítica no grande brain-mixer.

Lá encontrei um site que nos dá a possibilidade de ver o ajusto da inflação na receita de todos os filmes. Mesmo todos, incluindo os mais antigos. E podemos ver que se "E tudo o que vento levou" estreasse nos dias de hoje e tivesse os mesmo espectadores que teve há mais de 70 anos, então seria o filme mais lucrativo, atingindo quase 1,5 mil milhões de dólares. Colocando assim o querido Titanic (filme mais rentável de sempre) no modesto 6º lugar.

De notar também que antigamente se ia mais vezes ao cinema do que hoje em dia. A prova é que o primeiro filme a ser estreado após 2000, aparece só em 26º lugar com AVATAR. De lembrar também que Avatar está a fazer dinheiro porque o raio do bilhete 3D custa 8 euros.

Seja como for, temos que reconhecer que James Cameron tem o dom de fazer muito dinheiro com os seus filmes. Ele deve ser daquelas poucas pessoas em Hollywood que tem permissão para fazer fezes em cima dos executivos dos estúdios.


Leia Mais…

Google Translator...

Google translator no seu melhor catano.

Vejam o que ele faz quando quero traduzir "Sou o Nuno" para espanhol.
Muito à frente catano...


(clicar para aumentar)

Leia Mais…

pbfcomics...

Há uns anos atrás, rendi-me por completo, a um site que um amigo meu me deu.

http://pbfcomics.com/

Está genial.

São pequenas tiras de banda desenhada que têm um humor negro único.
Recomendo vivamente a quem queira desanuviar um pouco a cabeça do stress do dia-a-dia.

Deixo-vos aqui apenas uma amostra do que podem encontrar no site.

(cliquem para aumentar)

























Tenho que colocar aqui as duas tiras que mais apreciei:



e a melhor de todas...

Leia Mais…

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Photo XVIII


Leia Mais…

Gripe A = $$$$

Um pouco a confirmação do que eu coloquei aqui em Maio de 2009.

A notícia vem agora pelas mãos do presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa, que diz que o anúncio da Organização Mundial de Saúde (OMS) alertando para uma pandemia «é um dos maiores escândalos médicos do século, um negócio para a indústria farmacêutica», um caso que deve agora ser investigado pelo Conselho da Europa.

É pena que justiça não possa ser feita. Era pendurar esses animais como porcos no matadouro.



Leia Mais…

sábado, 23 de janeiro de 2010

Biologia ---> 4º Lugar!


A minha amiga Marta que anda numas aventuras com ratos e com meias lá por Lisboa, enviou-me um email muito interessante.

Foi publicado uma notícia no New York Times.
Antes de escrever mais, deixem-me dizer-vos que o New York Times é um jornal de referência MUNDIAL. Não é um 24H ou um Correio da Manhã. Perdoem-me os preconceitos, mas lixo é algo que temos em Portugal, como existe em Inglaterra com o Sun e Daily Mirror.

Mas New York Times é o New York Times e ponto final. (redundância)

O estudo da seguinte notícia foi conduzido pelo site CareerCast.com e elege os 200 melhores e piores trabalhos nos Estados Unidos em 2009. O estudo baseia-se em 5 critérios: Ambiente, Salário, Mercado de Trabalho, Exigência Física e Stress.

Ora bem.

Eu tirei Biologia. Sou, portanto, um Biólogo.
E biólogo é a 4ª melhor profissão nos EUA em 2009.


(ruído do vento a passar o silêncio da ocasião)


4ª melhor profissão?
Cum catano.

Salário médio: 71 mil dólares, que serão uns meros 50 mil euros por ano. Cerca de 4 mil e 200 euros por mês.


(mais um bocadinho de ruído do vento a passar)


Mas o que me impressiona na lista já não é tanto a Biologia rular em 4º lugar. Mas se reparem mais abaixo na lista, verão que FILÓSOFO foi a 11º melhor profissão nos EUA.


(rajada de vento a passar)


FILÓSOFO?!?!?
Mas estamos aonde? O que raio é que um filósofo faz?
Querem saber?

Vejam os 10 segundos do vídeo abaixo:



E esta profissão rende a estes grandes trabalhadores cerca de 3600 euros por mês.

Ser JUIZ FEDERAL nos EUA apenas aparece em 63º lugar.

Bom.
Creio que apenas podemos dizer que EUA é o país das oportunidades.
E dos filmes porno.

Deixa-me lá ver então se a Ryanair voa para lá...

Leia Mais…

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Photo XVII


Leia Mais…

Defeza do Perzidente.



Estava eu a fazer a minha pesquisa de imagens para o post anterior, quando me deparo com o seguinte site.

Recomendo a leitura atenta. É que estamos perante um golpe quase de génio. O utilizador que decidiu escrever este belo artigo a defender o seu amado Pinto da Costa é na realidade um adepto do Benfica.

Porque só um adepto do Benfica iria escrever um artigo com graves e simples erros ortográficos a defender o Pinto da Costa, para que todos pudessem ver que os adeptos do FCP não sabem escrever e são burros.

Reparem só nalguns exemplos:

responsavéis
1ªInstançia
iram responder

Inteligente.
Mas eu sou ainda mais inteligente.


Ou devo escrever: çou ainda maiz intelijente.

Leia Mais…

A bela coisa da Internet...



Estava a ler as manchetes dos jornais de hoje e vi que o Pinto da Costa já está a processar todos, por causa das escutas na Internet.

Dou-lhe toda a razão. E não estou a brincar.
Ele é um cidadão como eu, e tem direitos.

Ele foi julgado e absolvido por um tribunal.
Eu não sou advogado mas creio que se foi absolvido por um tribunal português, então é porque, aos olhos de Portugal institucional, ele é inocente. É um homem inocente que limpou o seu nome em tribunal.

As escutas na Internet vêem a manchar o seu nome que tanto lhe custou para limpar.
E pelo que podemos constatar através das escutas, quando digo que lhe custou muito a limpar o seu nome, não me refiro apenas ao custo do seu advogado.

A internet tem esta bela faca de dois gumes. Tanto beneficia uns, quando ao mesmo tempo prejudica outros. Normalmente beneficia a maioria dos utilizadores.

Quando vemos que uma estrela de cinema toda sexy decidiu fazer um vídeo caseiro de marotices com o namorado e esse mesmo vídeo foi "libertado" para a Internet, então quem ganha são os geeks e nerds que têm oportunidade de desfrutar a sua deusa em poses mais íntimas. Quem ganha são os utilizadores todos e que perde é a pobre da pessoa que se vê estripada de toda a intimidade.


O mesmo acontece com ficheiros secretos (como os da Cimeira de Copenhaga) ou vídeos (como os filmes que todos sacamos da net mesmo ainda de terem estreado nas salas de cinema) ou ainda músicas. A internet permitiu aos utilizadores pouparem dinheiro em CDs (que costumavam custar 3 contos cada um), bilhetes de cinema (que são extremamente caros) e ainda o embaraço de ir ao club de vídeo alugar um vídeo pornográfico ou ter que comprar a última edição da Playboy.

A verdade é que uma vez na Internet, nunca mais ninguém consegue retirar o conteúdo de lá. Com estas escutas na Internet, o Pinto da Costa pode processar quem queira, e pode gastar os milhões que quiser, que da Internet nunca mais as tira. É a beleza disto. Uma vez lá, toda a gente pode gravar para si o conteúdo e manter no seu computador pessoal e mais tarde partilhá-lo mais uma vez. Então o Youtube veio a estragar tudo para esta gente...para a nossa delícia.



Então embora o Sr. Pinto da Costa tenha sido absolvido e ter o seu nome limpo, a Internet permitiu-nos aceder às escutas (cedidas pelo Sr. Tripulha) e verificar assim uma das mais importantes provas que estiveram em tribunal (isto já sou eu assumir coisas que não sei ao cerot).

Então pelas escutas, que certamente já muita gente ouviu e leu, chegamos a concluir que a linguagem usada naquelas gravações pode ser bastante âmbigua. Quando ouvimos o Sr. António Araújo (Empresário dos Jogadores) a perguntar ao Sr. Pinto da Costa se pode entregar "fruta de dormir" à equipa de arbitragem, certamente que se refere a umas uvas ou a umas tangerinas. Os efeitos activos destas frutas ajudariam os árbitros a terem uma boa noite de repouso.

Agora, perguntamos nós, inocentes e ignorantes: estas gravações serão assim tão âmbiguas para não serem usadas em tribunal? Temos a voz dos intervinientes. Temos nomes de pessoas envolvidas e ainda temos a denúncia mascarada de favores sexuais. Precisamos de vídeo? Precisamos de ter Pinto da Costa assinar um acordo entre ele e os árbitros, no meio do estádio do Dragão, a oferecer meninas em troca de favores à equipa do Porto? É que mesmo assim ainda podiam dizer que ele estava constipado e que as meninas era só para lhe meter as gotas no nariz e assim.

Não percebo.
Mas cada dia que passa, agradeço a Tim Berners-Lee por ter inventado o World Wide Web que todos os dias nos traz algo de novo e fresco.

Por agora, deixo-vos com a reflexão do nosso sistema judicial e como é que as coisas correm quando se tem dinheiro. Deixo-vos também com uma grande peça dos Gato Fedorento.
Muito apropriada para este post.


Leia Mais…

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Canarices...

Isto aqui nas Canárias é uma comédia.

Mostro-vos em primeiro lugar uma foto de um produto que é basicamente veneno para ratos.



Isto em Portugal teria bastante sucesso...Há muita rata em Portugal e espalhado por esse mundo fora.

Mas também não é só de ratas que venho aqui falar.
Problemas do código da estrada são também comuns.



Isto é um cruzamento bastante largo. Não parece, mas há sempre um anormal disposto a meter o carro num sítio onde não deve...

E é assim...

Leia Mais…

Angels in America



Um belo filme para ver. Com belas interpretações....

Angels in America é assim mesmo. Um filme comovente mas que toca na ferida com intenção de nos acordar. Meryl Streep e Al Pacino emprestam o seu talento a esta pequena pérola. Thomas Newton encanta-nos com a sua banda sonora.

Mostro-vos uma das grandes cenas entre Pacino e James Cromwell.
Simples mas poderosa.


Leia Mais…

Photo XVI


Leia Mais…

Escutas Apito Dourado no Youtube



Lindo...Lindo...Lindo

E o lindo disto tudo, é que estes animais ainda andam aí a solta...

Notícia do Público: aqui.

Youtube: aqui.

Ah ganda Tripulha!!!



ADENDA:

Tinha que adicionar esta:



Mas vejam a oferta de prostitutas aqui.

Leia Mais…

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Golden Globes 2010...



No meio da palhaçada que foram a entrega dos prémios, salvou-se Ricky Gervais que esteve um pouco contido.

Realmente estes foram os Globos Azuis e os Oscars serão o mesmo.

O problema de Avatar é que devia ter sido estreado num ano em que o resto das produções fosse uma trampa. Porque estou mesmo a ver que Avatar será mais um Senhor dos Anéis.

Devo acrescentar que Senhor dos Anéis (arriscando um apredejamento público) é uma trampa de filme embora aplauda a produção. Algo também se passa um pouco com Avatar (embora não tanto) na medida em que o script é básico e bastante ecológico (muito político portanto - hint Oscars) mas teve uma revolução em termos da cosmética do 3D.

Mas a vida é assim mesmo. "Nine", "Inglorious Basterds" (salvou-se o grande Christoph Waltz), "Sherlock Holmes", "District 9", "Up in the Air" e "The hurt locker" são alguns dos belos exemplares que ficaram a boiar no oceano "azul" que é (e será nos Oscars) Avatar.

Mas para o ano há mais.

Agora faltam ver os Oscars e esperar por uma surpresa que não seja azul...


Leia Mais…

domingo, 17 de janeiro de 2010

Homem talentoso...

Como é sabido por esse mundo fora, eu sou uma pessoa fora do normal. Extraordinário seria um adjectivo correcto aplicar ao meu caso. Não no sentido daqueles gajos que têm 6 dedos numa mão ou que conseguem fazer com que as colheres e garfos fiquem colados aos seus corpos.

Mas se eu sou extraordinário, então o próximo gajo que vão ver bem que podia ser o meu descendente, se um dia a minha perfeição se convertesse em energia pura.

Reparem que tudo o que ele faz, eu consigo fazer no meio de uma tempestade de areia no deserto com leões e tigres à minha volta...quando eu tiver 80 anos...e for paraplégico.

Mesmo assim é do catano...


Cortesia do meu querido tio Paulo.

Leia Mais…

Photo XV


Leia Mais…

Enigma 6



Este enigma é um pouco diferente e pensei nele ontem, enquanto estava no duche.
Coisas boas aparecem sempre que me lavo, o que é uma raridade.

Então isto pode parecer simples, mas pensem bem e vão ver que é muuuuito simples mesmo.

Ainda antes de descrever o enigma, só queria falar um pouco de Testes de Paternidade baseado no ADN.

Um teste de ADN nunca é usado para ver quem é o pai, mas sim para ver quem NÃO é o pai. Isto porque se temos 10 potenciais pais (sim, a mãe era uma rameira), então temos que fazer 10 testes de ADN. Não há nenhum teste que nos vai indicar com toda a certeza que o pai nr. X é o pai certo. Apenas vai dispensar os que não o são. E por exclusão de partes vai ficar um pobre homem que terá que tomar conta do mafarrico.

Então sabendo que uma criança partilha 50% do ADN da mãe e 50% do ADN do pai, então se eu tiver um irmão, eu serei mais similar geneticamente ao meu irmão ou ao meu pai? Ou será o mesmo?

Se eu e o meu irmão fizermos o sexo com a mesma rapariga e mais tarde ela tiver um filho, como é que vamos ver se é meu filho ou meu sobrinho?

Leia Mais…

Charlie Chaplin's Illusion

Parece simples, mas a ilusão dá cabo da cabeça a qualquer um.

Leia Mais…

Mr. Borat Bean


Leia Mais…

Super negrão!!!

Que grande filme este será!!!




A melhor parte? "I am smiling"
Divinal!

Leia Mais…

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Malandrices em Cambridge...

Quando estive em Cambridge no final de Novembro, vi uma coisa que me fascinou.


Então passa-se o seguinte.
Em Cambridge é comum pregarem-se partidas por parte de estudantes não identificados. Os Colégios e autoridades não ficam contentes, porque a maioria das vezes nunca se sabe quem foi nem como o acto foi executado. Mas nunca se pratica vandalismo. Apenas pequenas malandrices...

Este ano, os alunos escolheram como alvo a mais famosa capela de Cambridge: King's College Chapel.
Reparem só a monstruosidade que é a capela.





E agora reparem nos quatro cantos da capela (aqueles 4 corninhos em cada canto) e reparem nas fotos que eu tirei quando lá estive em Novembro.







Brilhante.
Sem comentários.

Ninguém sabe nem ninguém viu nada. As autoridades não gostaram mas este tipo de partidas já é uma tradição de séculos. Exige mestria e paciência para se meterem capuchos de Pai Natal naquele niquinho a uma altura tremenda.

Reparem que nada se estragou. O princípio deste tipo de actos é não cometer vandalismos ou estragos. Aquela capela tem mais de 563 anos de existência e por isso mesmo exigiu muita perícia por parte de quem escalou (se é que escalaram), para evitar estragos...

A grandiosidade disto tudo é o secretismo. Nunca sabem quem é que cometeu um acto tão visível e notório. E tem que ser uma coisa de poucas horas e durante a noite, senão tão tramados.

Mas esta foi a "prank" deste ano.

No entanto, há uma ainda mais famosa que ocorreu nos anos 50. Na altura, um grupo de estudantes não identificados tiveram como o alvo o Senate House da Universidade de Cambridge.


Senate House
O ano foi o de 1958 e foi numa bela manhã que Cambridge acordou com um carro (um Austen Seven) no telhado do Senate House.

Mais uma vez o grupo de pessoas não foi identificado pelas autoridades nem sequer souberam como é que conseguiram meter lá o carro.


parque de estacionamento único

Esta história preenche guias turísticos e os corredores dos colégios entre os estudantes...É uma autêntica lenda viva. A proeza foi tão fantástica que as autoridades demoraram quase uma semana a tentar tirar o carro do telhado.

Mas a história não fica por aqui...
Passados 50 anos (em Junho de 2008), o grupo de estudantes resolve aparecer em público num jantar-reunião em Cambridge para comemorar a proeza.

Os estudantes eram de engenharia (como é óbvio) e o líder era Peter Davey, que um belo dia pensou que o telhado do Senate House ficava mais bonito com um carro lá em cima espetado. Para isso chamou 11 pessoas para o ajudarem no seu plano (Davey's Eleven). Usando astúcia e muita Física, o plano foi mais ou menos o seguinte:



Davey também tinha no terreno duas meninas que fingiam que estavam bêbedas e levantavam as saias às pessoas que começassem a notar em algo de estranho...

Embora os estudantes na altura nunca se tivessem revelado nem nunca ninguém suspeitasse quem fosse, a verdade é que o então estudante Peter Davey recebeu uma garrafa de Champagne do Reitor seu Colégio (Caius). Embora o Reitor sempre tivesse afirmado em público que não sabia quem poderia ter sido o autor da partida, a verdade é que sempre suspeitou de Davey e enviou-lhe secretamente uma garrafa de Champagne para lhe dar os parabéns por tal proeza magnificamente orquestrada.


Peter Davey

Leia Mais…

Moeda falsa??

Descubram-me de onde raio veio esta moeda de 2 euros...


Leia Mais…

The Watch...



Há cenas no cinema que são absolutamente inesquecíveis.

Eu queria deixar aqui uma delas porque tem um gajo cheio de pinta: Christopher Walken.

Este senhor é uma das celebridades mais imitadas pelo mundo, muito devido à sua maneira única de se expressar. Para verem um dos mais famosos, cliquem aqui.

Mas voltando à cena em questão, Christopher Walken empresta o seu enorme talento a um estranho chamado Quentin Tarantino. Neste pequeno segmento que vamos ver, Walken é um militar que sobreviveu à Guerra do Vietname e conseguiu ainda trazer um relógio muito especial.

O monólogo é único, tem a marca de Tarantino em toda a parte e Walken limita-se a ser ele próprio. Temos como resultado uma pequena pérola.

Apreciem lá...


Leia Mais…

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

O desejo para 2010...e para os outros anos todos...

Todos nós fazemos listas de coisas que queremos fazer neste ano que iniciou.

A minha lista para 2010 é a seguinte:

1. Ser feliz.



Não preciso de saúde, dinheiro, poder, de coisas materiais, de viajar, de trabalhar.
Ser feliz é algo que as pessoas andam a esquecer. Muito por culpa do ambiente negativista que se vive hoje em dia.

(e agora vocês dizem: "pronto, lá vai ele armar-se em senhor da razão, todo filosófico.")

Pois bou!
O blog é meu, eu é que mando!

No Público vinha mais uma notícia miserável e deprimente que falava do fim do mundo para os jovens entre os 16 e 25 anos. Não têm rumo, emprego nem estabilidade financeira.

Costumo dizer que tenho 25 anos e já vivi em 5 países diferentes (Portugal, Itália, Holanda, Inglaterra e agora Espanha) e parece que foi a coisa mais fácil que aconteceu. Nunca me rendi ao "deixa andar e ver o que é que a rede traz" nem ao comodismo.

Lembro-me de quando estava a fazer a candidatura para Erasmus quando tinha 22 aninhos e tentei tudo por tudo (contra a opinião de todos) fazer Erasmus na Universidade de Cambridge. Sempre foi um daqueles sonhos que tinha. Então dei o litro a fazer contactos, escrever mails, telefonar aos serviços internacionais de Cambridge a inquirir sobre processos e candidaturas, etc. No entanto tinha muita gente a dizer que estava a iludir-me a mim próprio, que era uma perda de tempo, etc.

Não cheguei a ir para Cambridge.

Mas tentei...

Fui para Itália e foi o melhor ano da minha vida. A nível pessoal foi um crescimento imenso. Foi uma evolução de caracter e de personalidade. Não foram tudo rosas, mas lembro-me sempre de uma expressão de um colega que tinha feito Erasmus em Milão no ano anterior ao meu:

"As más experiências são também experiências de Erasmus. Faz tudo parte."


Itália

Então todas as complicações aliadas a todas as aventuras fizeram daquele ano em Itália o mais belo e profundo ano da minha vida. Não querendo ser elitista ou arrogante, atrevo-me a dizer que quem nunca fez Erasmus na vida não consegue compreender a minha linguagem.


Veneza

Lembro-me de uma expressão que dei em Filosofia no 10º e que me ficou tatuada no cérebro em que dizia que uma "vivência é uma experiência pessoal que só quem a vive é que pode a definir realmente". Erasmus é isso mesmo: uma vivência única. Não é estar de férias num país estrangeiro. É viver uma outra cultura. Fazer amigos. Trabalhar num sítio único. Lidar com situações extraordinárias. É algo de precioso.




Mas Cambridge ainda lá estava no canto do meu cérebro na gaveta dos sonhos. Embora admita que não ter conseguido ir para Cambridge naquele ano foi uma desilusão, admiti a mim mesmo que Itália foi o destino ideal e que ainda bem que as coisas correram assim. É o país para se viver e para se apaixonar pelas coisas...


Itália

Depois de tal ano bombástico, como é que eu iria superar tal vivência?
Fazer um Mestrado ou Estágio na Universidade de Aveiro (ou Portugal) como a maioria dos meus colegas? Ou ir para a aventura novamente? O que é que eu iria perder? Um ano académico? Bah, a vida é fugaz e temos que aproveitar enquanto não estamos casados, com filhos e contas para pagar, para nos mandarmos lá para fora e gritar com os pulmões cheios de energia.

Mandei-me para a Holanda, um sítio no norte da Europa, com uma cultura diferente da que tinha experienciado em Itália. A experiência ainda hoje me deixa às vezes em estado de choque com as coisas que aprendi, adquiri e vi por lá. Deixa-me em estado de choque mas no bom sentido. No sentido de naquele período que estive por lá, ter ido a outros países, ter estado com "amigos e amantes" e de ter feito aquela jornada junto de um amigo meu da universidade, incrédulos por vezes ao assistir a momentos únicos de surrealismo. Foi uma "outra realidade" que conheci e que me fez crescer ainda mais. Foi uma vivência diferente. Se Itália foram os primeiros passos da minha nova personalidade então a Holanda foram as primeiras quedas. No entanto, não se aprende a ter equilíbrio, sem se cair umas vezes antes...


Bélgica

Já sabia andar e a ter equilíbrio, agora faltava-me voar. E a Universidade de Cambridge foi esse vôo que em 24 anos nunca tinha previsto. Um vôo tímido, mas alto...


Londres

Antes mesmo de partir para Cambridge, tinha nas mãos a oportunidade de fazer um Mestrado na Universidade de Aveiro ou um Estágio. Ao contrário da grande maioria dos meus colegas (ao qual nada tenho a dizer de negativo em relação às suas decisões) decidi contrariar o meu facilitismo e comodidade de ficar em Aveiro e fiz malas com rumo a uma oportunidade única: Cambridge.

Passados dois anos da minha tentativa falhada de ir para a Universidade de Cambridge e após muito trabalho consegui ir para a mítica universidade. Custou mas consegui assinar o sonho que tinha metido na gaveta há dois anos...


Cambridge

Decidi ir à procura de um pouco de Itália e de Holanda juntos. E foi lá que encontrei poucos, mas grandes amigos e foi lá também que cresci mais um bocadinho. Adquiri as asas e sinto-me confortável ao dizer que o tal pessimismo e negativismo que o Público fala dos jovens dos 16 - 25 anos de idade é algo de relativo. Eu não consegui nada de extraordinário, nem acordo a pensar que sou bestial. Obedeço às mesmas Leis da Física como todos vós. Tenho medos e angústias, mas também tenho sonhos. E sei, e agora posso afirmar arrogantemente que sei mesmo, que a única maneira de alcançar esses sonhos e esperanças é fazer algo. É ser activo.


Cambridge

Digo-vos já que vão ter muitas desilusões, como eu as tive (e ainda vou ter no futuro). Mas para saborear o doce, temos que saborear o amargo. Por isso é que com tentativa-erro é que chegamos lá, sem nunca nos desiludirmos. Não é uma questão de ter fé, ou de acreditar em si mesmo. Nada disso. Isso são tretas que religiosos e filmes de domingo à tarde vendem às pessoas. O que é preciso é ter a astúcia de mostrar o que nos faz melhor que o outro. Não é desprezar ou dizer mal do colega, mas sim fazer realçar as nossas qualidades. Se queremos tal sonho, temos que provar que somos dignos desse sonho e temos que estar preparados para deixar tudo para trás. Porque se começamos a dizer que Aveiro é que é fixe porque temos a família lá e os amigos e o catano, então esqueçam e sejam felizes à vossa maneira. O que mais me custa por vezes é meter-me no avião e ter que me despedir de amigos e familiares. É ter o tal copo com a família. É saber agora que só nos vamos ver passados uns meses largos. É saber que o meu futuro NÃO vai passar por Portugal. É saber que não podemos ter tudo. É saber que para termos o privilégio de estar no Vaticano a ver o Papa, então não podemos estar na palhaçada com os amigos, ou no convívio com a família. É saber que em cada vez que tenho que falar inglês, italiano ou (um pouco) de espanhol, significa que não estou em Portugal, na minha terra, com a minha gente. Mas sei que o saldo no fim da factura é muito positivo. E que tudo vale a pena.


Aveiro

Sei também que para cada aventura que me meto, se não gostar, posso sempre voltar para Portugal e voltar à mesma estaca de onde parti. Perco tempo, mas sei que aquela experiência me mostrou que aquela aventura não é a mais indicada para mim. Thomas Edison, o inventor da lâmpada, disse uma vez que inventou 700 maneiras de como não-inventar uma lâmpada, antes de ter encontrado a solução correcta para a lâmpada. É fundamental descobrirmos o que não funciona connosco. Qualquer experiência que não seja do meu agrado, é uma experiência positiva, no sentido de me mostrar que aquela "porta que abri" não é a mais ideal para mim e que a posso "fechar" novamente. Mas se nunca a tivesse aberto, então nunca saberia se era a indicada ou não...

Canárias

Creio que também é importante saber que todos nós devemos fazer o que GOSTAMOS de fazer e nunca aquilo que QUEREMOS fazer. Por exemplo, toda a gente quer ser um daqueles tipos de CSI por causa do glamour e do perfume das séries. No entanto se metade soubesse que aquilo envolve trabalho de laboratório extremamente aborrecido, talvez pensassem duas vezes. Queremos ser, mas não gostamos de fazer. É importante definir o que realmente gostamos de fazer. Porque só aí vamos "correr por gosto". E nunca nos iremos cansar. Iremos ser os melhores. Temos motivação e dedicação.

Para terminar, queria dizer que não sou ninguém para valorizar as minhas ideias e opiniões acima de qualquer outra. O que escrevi são as minhas ideias e os meus sentimentos em relação a esta "geração perdida" de que o Público fala. Creio que falta garra. Faltam também condições para ter garra. Mas uma coisa vos garanto e é que tudo é possível. Não é a ver os Ídolos ao domingo, ou ver as novelas da TVI das 21h à 0h30 que vai resolver a vida de alguém. Passividade é o maior inimigo nesta guerra.

Volto a reafirmar que escrevi as minhas opiniões (humildemente) e nunca tive a intenção de ser arrogante ou de parecer que alcancei tudo na vida e que estou realizado. Muito longe disso. Ainda falta muito caminho para andar. Sou um bebé nestas coisas da vida. Ainda falta uma infinidade de batalhas para serem vencidas. Mas estou a ganhar terreno aos poucos. Eu estou agir como acho que devo agir e quis partilhar isso com vocês. Creio que a maioria dos meus amigos está onde quer estar. Alguns querem mais, outros até querem menos.

Creio que sempre me ajudou saber que a vida só se vive uma única vez. Por isso não vamos estar a perder tempo com coisas aborrecidas. Não pode ser sempre sol e praia, mas também não tem que ser sempre trabalho e cinzento. Um equilíbrio é suficiente...

...e no fim, todos nós à volta de uma mesa a comer e a rir...

Esse é o desejo para 2010.


(eu trago a mesa e o vinho...)


Leia Mais…