sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

A bela coisa da Internet...



Estava a ler as manchetes dos jornais de hoje e vi que o Pinto da Costa já está a processar todos, por causa das escutas na Internet.

Dou-lhe toda a razão. E não estou a brincar.
Ele é um cidadão como eu, e tem direitos.

Ele foi julgado e absolvido por um tribunal.
Eu não sou advogado mas creio que se foi absolvido por um tribunal português, então é porque, aos olhos de Portugal institucional, ele é inocente. É um homem inocente que limpou o seu nome em tribunal.

As escutas na Internet vêem a manchar o seu nome que tanto lhe custou para limpar.
E pelo que podemos constatar através das escutas, quando digo que lhe custou muito a limpar o seu nome, não me refiro apenas ao custo do seu advogado.

A internet tem esta bela faca de dois gumes. Tanto beneficia uns, quando ao mesmo tempo prejudica outros. Normalmente beneficia a maioria dos utilizadores.

Quando vemos que uma estrela de cinema toda sexy decidiu fazer um vídeo caseiro de marotices com o namorado e esse mesmo vídeo foi "libertado" para a Internet, então quem ganha são os geeks e nerds que têm oportunidade de desfrutar a sua deusa em poses mais íntimas. Quem ganha são os utilizadores todos e que perde é a pobre da pessoa que se vê estripada de toda a intimidade.


O mesmo acontece com ficheiros secretos (como os da Cimeira de Copenhaga) ou vídeos (como os filmes que todos sacamos da net mesmo ainda de terem estreado nas salas de cinema) ou ainda músicas. A internet permitiu aos utilizadores pouparem dinheiro em CDs (que costumavam custar 3 contos cada um), bilhetes de cinema (que são extremamente caros) e ainda o embaraço de ir ao club de vídeo alugar um vídeo pornográfico ou ter que comprar a última edição da Playboy.

A verdade é que uma vez na Internet, nunca mais ninguém consegue retirar o conteúdo de lá. Com estas escutas na Internet, o Pinto da Costa pode processar quem queira, e pode gastar os milhões que quiser, que da Internet nunca mais as tira. É a beleza disto. Uma vez lá, toda a gente pode gravar para si o conteúdo e manter no seu computador pessoal e mais tarde partilhá-lo mais uma vez. Então o Youtube veio a estragar tudo para esta gente...para a nossa delícia.



Então embora o Sr. Pinto da Costa tenha sido absolvido e ter o seu nome limpo, a Internet permitiu-nos aceder às escutas (cedidas pelo Sr. Tripulha) e verificar assim uma das mais importantes provas que estiveram em tribunal (isto já sou eu assumir coisas que não sei ao cerot).

Então pelas escutas, que certamente já muita gente ouviu e leu, chegamos a concluir que a linguagem usada naquelas gravações pode ser bastante âmbigua. Quando ouvimos o Sr. António Araújo (Empresário dos Jogadores) a perguntar ao Sr. Pinto da Costa se pode entregar "fruta de dormir" à equipa de arbitragem, certamente que se refere a umas uvas ou a umas tangerinas. Os efeitos activos destas frutas ajudariam os árbitros a terem uma boa noite de repouso.

Agora, perguntamos nós, inocentes e ignorantes: estas gravações serão assim tão âmbiguas para não serem usadas em tribunal? Temos a voz dos intervinientes. Temos nomes de pessoas envolvidas e ainda temos a denúncia mascarada de favores sexuais. Precisamos de vídeo? Precisamos de ter Pinto da Costa assinar um acordo entre ele e os árbitros, no meio do estádio do Dragão, a oferecer meninas em troca de favores à equipa do Porto? É que mesmo assim ainda podiam dizer que ele estava constipado e que as meninas era só para lhe meter as gotas no nariz e assim.

Não percebo.
Mas cada dia que passa, agradeço a Tim Berners-Lee por ter inventado o World Wide Web que todos os dias nos traz algo de novo e fresco.

Por agora, deixo-vos com a reflexão do nosso sistema judicial e como é que as coisas correm quando se tem dinheiro. Deixo-vos também com uma grande peça dos Gato Fedorento.
Muito apropriada para este post.


0 Comentarios: