sexta-feira, 30 de abril de 2010

Panquecas em Itália...

Erasmus Itália.
Algures entre Março e Abril 2007.

A arte entre um português e um belga enquanto confeccionam umas panquecas.
Atentai na mestria e no trabalho de equipa...

Leia Mais…

Sr. Bergkamp...

Há Messis e há Ronaldos e Zidanes...
Mas há um golo que me ficou tatuado no cérebro desde há muitos anos...

É algo que parece simples e não tem pontapés-de-bicicleta nem fintas a milhares de jogadores. A ilusão de simplicidade é que dá o brilho ao golo. Reparem na repetição do golo e vejam o que o Sr. Bergkamp fez à bola, ao jogador e ao guarda-redes... tudo num simples toque...

Leia Mais…

Special One...

Há que ser especial. O caminho do Inter de Milão até à final foi bastante difícil tendo jogado quatro vezes contra o Barcelona e mais duas vezes com o Chelsea. Mas "the Special One" é assim...especial...
E os camelos dos gajos do Barcelona ligaram os regadores no campo para expulsar os festejos...


Leia Mais…

Scene 12

Definitivamente para VER até ao FIM.
Prometo que o fim está mesmo fantástico...

Leia Mais…

Stephen Hawking e os aliens...



“Se os extraterrestres nos visitassem, as consequências seriam semelhantes às [que aconteceram] quando Cristóvão Colombo desembarcou na América, algo que não acabou bem para os nativos”, aponta o professor Stephen Hawking da Universidade de Cambridge, doutorado em Cosmologia.

Eu não sei se concordo com esta visão. 
Imaginem uma civilização super avançada. Ou pelo menos avançada ao ponto de viajar pelo Universo entre galáxias, como nós, humanos, viajamos entre Aradas e Esgueira. Uma raça assim teria o controle sobre as mais básicas e avançadas tecnologias que nós, humanos, ansiamos controlar. Coisas como fusão nuclear, viagens interplanetárias ou simplesmente como não deixar colar o arroz ao fundo do tacho, seriam conceitos que uma raça extraterrestre avançada dominaria sem problemas. 

Deixem-me falar de um gajo russo chamado Kardashev que um dia elaborou uma escala para medir o avanço de uma civilização. Segundo Kardashev existem 3 tipos de níveis:
1. Tipo I - Uma civilização que é capaz de usar a energia disponível de um planeta.
2. Tipo II - Uma civilização que é capaz de usar a energia disponível de uma estrela.
3. Tipo III - Uma civilização que é capaz de usar a energia disponível de uma galáxia.

O famoso cientista Carl Sagan, calculou em 1973 que a nossa civilização se encontrava abaixo do Tipo I, mais concretamente no valor 0,7. Ainda não usámos totalmente os recursos que a Terra tem para nos oferecer...
Então assim sendo, podemos facilmente concluir que uma raça extraterrestre deve estar pelo menos no nível II. Um nível ao qual já conseguem extrair a energia a partir de uma estrela (tipo o Sol). Energia necessária para realizarem as suas tarefas diárias, como aquecerem as suas casas e alimentarem os seus automóveis.

Então não sei se um dia nos encontrarem aqui na Terra vão usar-nos como escravos ou vão dominar-nos. Uma raça que já atingiu um nível tecnológico tão avançado já não precisa de andar à busca de novos planetas à procura de novos recursos energéticos.

O máximo que podem fazer com a gente é assim tipo uma estância ou um circo. Como nós usamos os macacos e leões no circo... Mas nós somos idiotas...

A ver vamos como a coisa corre...

Leia Mais…

quarta-feira, 28 de abril de 2010

tagalog...

Estou a falar com uma gaja das Filipinas e diz-me que o seu idioma é tagalog. 

"Prazer em conhecer-te" em tagalog é: Natutuwa ako at nakilala kita.
"Queria uma sandes de peru": Gusto ko po ng tinapay na may palamang.

Mas quem é que disse que não se aprende nada aqui?
Pode ser que esta frase vos seja útil, da próxima vez que estiverem numa situação de emergência nas Filipinas e não se lembrarem do vosso inglês e apenas destas duas frases...e caso a outra pessoa fale tagalog...porque nas filipinas falam-se mais de 100 idiomas e dialectos diferentes...

...mas seja como for...pode-vos salvar a vida. 

Depois agradecem...

Leia Mais…

segunda-feira, 26 de abril de 2010

He gets pissed...

Leia Mais…

sábado, 17 de abril de 2010

Teste para gays...

Acabei de chegar a casa, após uma noitada, e deparo-me com isto:


(Clicar para aumentar)

Leia Mais…

Homossexualidade .- será coisa do demónio?


Será a homossexualidade uma doença?

Estou um pouco hesitante em escrever este post, porque ao contrário do que acontece com outros posts, desta vez irei incidir sobre um lado mais científico e sério no que respeita a homossexualidade. É fácil gozar, mas para quem me conhece, sabe que não passam de piadas inocentes e nunca tive nada contra a homossexualidade. Nunca escrevi sobre o casamento gay porque não creio que seja um assunto importante. Só em Portugal é que uma coisa dessas tem que ser importante, para desviar atenção sobre outros assuntos mais importantes como Educação, Saúde e Emprego. Fazer do casamento gay uma questão politica é por si só um erro. A mim, heterossexual, não me afecta minimamente. Não prejudica as hipóteses de conseguir um emprego no futuro. Não altera o sistema de ensino, nem tão pouco melhora (ou piora) o sistema de saúde de Portugal. Em resumo, o casamento gay não afecta a minha liberdade. Porque irei eu querer afectar a deles?

Seja como for, o que me traz a escrever estas linhas, é um estudo polémico mas com base científicas. E sempre que lemos um estudo científico sabemos que podemos contar com provas sólidas (mas às vezes temporárias e com interpretações erróneas ou incompletas). O problema com a ciência é que estamos em constante mudança, ou melhor, em constante aprendizagem. Nunca adquirimos nada em termos de conhecimento e bradamos aos céus que é dogmático. Há sempre uma pinta de humildade. Há sempre uma percentagem mínima de erro. Temos que ter sempre a mente aberta e estar sempre preparado para admitir que erramos, que algo de novo pode aparecer para contradizer a nossa teoria inicial.

Eu, pessoalmente, considero que a homossexualidade não é uma doença.

Mas segundo Adriano Vaz Serra, presidente da Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental, e João Marques Teixeira, presidente do Colégio da Especialidade de Psiquiatria da Ordem dos Médicos, defendem que nalgumas circunstâncias, e se houver essa vontade, é possível, através de terapia, mudar a orientação sexual de alguém. Após estas declarações polémicas, o Colégio da Especialidade de Psiquiatria da Ordem dos Médicos elaborou um parecer, no qual eu concordo, a dizer que "é generalizado o consenso entre os médicos psiquiatras de que não existe qualquer tratamento para a homossexualidade, pois esta designação não se refere a uma doença mas sim a uma variante do comportamento sexual."

Mas o que fazer quando se apresentam dados científicos (mas ainda não conclusivos) que apresentam  diferenças fisiológicas entre heterossexuais e homossexuais? O estudo já é um pouco velho, mas despertou-me a curiosidade quando o li ontem novamente. 

Vou começar pelo início então. Em 1991, um neuro-cientista chamado Simon LeVCay alegou que o hipotalamus, que está envolvido no comportamento sexual, tendia a ser mais pequeno em homens gay. Mas o passo seguinte seria pesquisar áreas do cérebro que não estivessem envolvidas no comportamento sexual e verificar se existe também aí alguma diferença. 

Foi o que Ivanka Savic fez. Usando imagem de ressonancia magnética (MRI - em inglês), compararam a simetria do cérebro de 25 hetero homens e 25 hetero mulheres com os de 20 homens gay e 20 mulheres gay. Os homens gay tendem a ter um cérebro mais parecido com o de hetero mulheres (o lado direito e esquerdo são aproximadamente do mesmo tamanho) e os de gay mulheres tendem a ser mais parecido com os do hetero homem (o lado direito é ligeiramente maior que o lado esquerdo). 

Nota: perdoem os diminutivos gay e hetero - serve para encurtar texto.

Após isto, os cientistas procederam a scans de tomografia por emissão de positrões (PET -em inglês) para examinar como é que amigdala (uma parte do cérebro envolvida no processamento de emoções) estava conectada a outras regiões do cérebro.  Descobriram novamente que os homens gay tem tendência a ser mais parecidos com as mulheres hetero, com uma ligação mais forte entre amigdala e regiões envolvidas em emoções. As mulheres gay têm tendência a ser mais parecidas com os homens hetero, com ligações mais fortes a partes envolvidas em funções motoras. 


Estas diferenças ainda necessitam de confirmação mais aprofundada e Savic realçou que ainda não se sabe como é que estas diferenças afectam o comportamento humano. 
Muitos argumentam que é cedo e o estudo é altamente especulativo. No entanto, afirmam que a descoberta de que existem diferenças fundamentais na estrutura do cérebro, suporta a ideia que a orientação sexual é inata

"Isto sugere que há qualquer coisa a ocorrer durante o desenvolvimento que influência a sexualidade e o cérebro." Isto é o que diz LeVay ao qual acrescenta que este estudo se encaixa com outros que mostraram que pessoas gays têm a tendência a ter proporções diferentes no comprimento dos seus dedos. Também o remoinho no cabelo, na parte de trás da cabeça das pessoas gay, tende mais a girar no sentido contrário ao ponteiro dos relógios do que nas pessoas hetero. Isto são tudo marcas biológicas de que algo se passa durante o desenvolvimento embrionário. Estes estudos também se encaixam com estudos que mostram que os homens gay têm tendência para escolher profissões que tipicamente atraem mulheres, como ensino e trabalho social, e que têm capacidades verbais e cognitivas que tendem a ser mais parecidas com as das mulheres. 


Muitos cientistas acreditam que mudanças podem ser resultado de uma dosagem de níveis de hormonas, como a testosterona, a que os fetos estarão expostos durante a gravidez.  

É importante realçar que estes dados são dados estatísticos. Verificar que há uma tendência para tal ponto, não quer dizer que seja assim linear. As palavras "tendência" e "probabilidade" em ciência são palavras malandras. Há que ter cuidado e não andar a verificar agora para que lado enrola o remoinho no cabelo ou se temos os dedos mais compridos que os outros. 

Além disso, este novo estudo envolvendo adultos não nos diz quando é que as estruturas e conexões se formaram. Apenas tira uma foto instantânea a um grupo particular de pessoas com uma certa idade. Não podemos generalizar ou retirar ilações acertadas sobre outros dados. Se também verificarmos o tamanho da amostragem (do estudo de Ivanka) vemos que 20 a 25 pessoas não são um grupo grande, fazendo-se sentir mais acentuadamente, qualquer variável que apareça.

Mas fica a curiosidade que não é meramente estímulos do meio ambiente que fazem mudar ou alterar a orientação sexual de uma pessoa. Cada vez mais se verifica que há um conteúdo "interno" que tem que ser tomado em consideração. Mas nunca, e repito, nunca se deve afirmar que se trata de uma doença. Este conceito indica que há ou poder um possível tratamento, uma possível cura. E a homossexualidade não tem tratamento porque não é uma doença, "é uma variante da comportamento sexual".

(Bar gay no centro de Londres)

Leia Mais…

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Photo XXXVII

Homenagem a Johnnie Walker...

Leia Mais…

Winscape


E se um dia vocês quisessem acordar a admirar uma vista sobre o planeta Terra vista a partir da Estação Espacial? Ou admirar pela vossa janela, o fundo do Oceano cheio de peixinhos e outras criaturas aquáticas fascinantes. 

A brincadeira custa apenas três mil dólares e chama-se Winscape. São dois grandes plasmas de alta-definição que estão "disfarçados" de janela. Usando uma camera Wiimote que consegue localizar onde nós estamos, consegue projectar a perspectiva sobre a imagem em display. Mas palavras para quê. Vejam vocês mesmo o futuro nas vossas janelas...

Leia Mais…

3 pérolas...

Retirados do canal youtube do famoso failblog, apresento-vos 3 vídeos em seguida.

O primeiro conta como uma testemunha desenhou o retrato de um assassino. Reparem no detalhe minucioso do desenho. Tá certo que o assassino irá ser identificado rapidamente.


O segundo vídeo que vos quero mostrar fala sobre um reporter que se encontra em frente de uma casa onde se encontra a polícia local à procura de drogas. No momento da reportagem, um polícia recolhe algo importante.
Lindo...


O terceiro e último vídeo é de uma coisa inacreditável. Fala como uma pequena cidade nos EUA gastou milhares de dólares a plantar alho na rua para impedir que um tipo de espécie apareça para aterrorizar a cidade. O problema é que agora a cidade quer gastar milhares de doláres para retirar a planta de alho novamente. O que vemos é a reacção indignada de um cidadão exemplar...

Leia Mais…

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Licantropia nos belhos...

O que o Ahlzeimer e essa trampa toda neurológica provoca nos belhos...
Atentai com atenção a este vídeo sobre cães violentos na Austrália e ao depoimento deste senhor idoso.

Leia Mais…

Conjectura de Poincaré...


Se há coisa que eu gostaria de ser na vida era ser rico. E enquanto nadava nos meus milhões de moedinhas douradas, gostaria de me dedicar e ser um génio na matemática. Infelizmente, não sou nenhum dos dois. Nem rico, nem matemático. Mas a matemática é uma paixão secreta que tenho pela beleza de uma poesia de equações e perfeição aritmética. Por isso gosto de acompanhar novidades no ramo leigo da matemática. Coisas como as 7 maravilhas da matemática, no qual se tratam dos 7 problemas mais difíceis da matemática ainda por resolver no século XXI. A cada um dos 7 enigmas, dava-se o prémio de 1 milhão de dólares a quem os conseguisse resolver.

Um desses problemas era a Conjectura de Poincaré. A resolução deste problema é fundamental para perceber as formas tridimensionais e também perceber a forma do Universo...

A conjectura de Poincaré tem a ver com uma área da matemática, a topologia, que estuda as propriedades estruturais que certos objectos conservam mesmo quando sofrem deformações extremas mas "contínuas" (ou seja, que não os rasguem nem os furem). Por exemplo, para um especialista de topologia, uma bola de futebol, ou a pele de uma laranja, mesmo espalmadas, esticadas, espezinhadas, serão sempre uma esfera (uma superfície cujos pontos se encontram todos à mesma distância do centro). Isto porque, desde que tenha conservado a sua integridade, essa forma tão disforme, irreconhecível, poderá sempre recuperar a sua redondez original através de deformações graduais, contínuas - no caso da bola, por exemplo, bastaria para isso enchê-la com ar devagarinho, cuidadosamente. Já um pneu (ou um donut) nunca se poderá transformar numa esfera por este tipo de procedimento porque tem um buraco no centro - o que o torna radicalmente diferente, do ponto de vista topológico.

Qualquer que seja a forma, desde que seja contínua, é possível obter uma esfera, alterando a sua forma tridimensional sem danificar a sua estrutura.

Para ser mais prático, se eu tiver um balão em forma de cubo, eu posso sempre enche-lo e torna-lo numa esfera. No caso de um corpo humano, eu nunca poderia encher até formar uma esfera, porque todos nós temos um tubo que vai da boca, passando pelo estômago, intestino e terminando no ânus. Por muito que eu enchesse, nunca se tornaria numa esfera. O mesmo se passa com um donut.

Uma maneira mais simples de perceber (e demonstrar) que um objecto é uma esfera consiste em imaginar um elástico esticado em redor do objecto. Seja qual for a posição inicial do elástico, se o objecto for topologicamente igual a uma esfera, ao deslizar o elástico sem permitir que deixe de estar em contacto com a superfície do objecto, o elástico poderá sempre ser encolhido até ficar "reduzido a um ponto" e retirado sem danificar a superfície. Pelo contrário, o mesmo nunca poderá acontecer com um elástico colocado à volta de um pneu (ou um de donut) que passe pelo buraco central. Para o "reduzir a um ponto" e o retirar, será sempre preciso rasgar o pneu (ou o donut). As duas imagens que se seguem, podem explicar melhor...

 
Este era um dos problemas mais difíceis de resolver, mas mais uma vez temos que ficar espantados com a mente humana. E além disso, temos que admirar a história do humano que resolveu o enigmático problema de Poincaré...

Chama-se Grigory Perelman e resolveu a Conjectura de Poincaré em 2003. 

A demonstração por Perelman da conjectura, considerada muito sintética e elegante por quem a percebe, precisaria de vários anos de escrutínio cerrado até os matemáticos poderem concluir com certeza que não continha falhas


 Perelman é a imagem escarrapachada do "génio maluco". Barba comprida e cabelo desgrenhado, unhas sem cortar há meses, olhar intenso, magro, mal vestido, de higiene duvidosa - como se tivesse a dada altura esquecido que a vida em sociedade requer algumas concessões básicas do lado da aparência e da indumentária. O que não é surpreendente: há quatro anos que Perelman vive num estado de quase reclusão no apartamento modesto que partilha, num bairro não menos modesto de São Petersburgo, com a sua mãe idosa. Não há aparições, entrevistas nem tão pouco muitas fotos dele.

Grigory Perelman resolveu um dos 7 enigmas e por isso foi-lhe atribuído um prémio de 1 milhão de dólares. Perelman recusou dizendo que o prémio é ter conseguido resolver o problema. Mas não é a primeira vez que Perelman fica sob os holofotes da fama científica - e também não é a primeira vez que foge deles a sete pés. Em 2006, foi recompensado pelo seu trabalho com a Medalha Fields, considerada o Nobel da matemática. E tornou-se o primeiro, desde a criação do prémio, em 1936, a recusá-lo. Agora, a história parece querer repetir-se na sequência da atribuição do prémio de 1 milhão de doláres.

Perelman foi sempre um ás da matemática e em 1982, ainda adolescente, ganhou a medalha de ouro nas Olimpíadas Internacionais de Matemática. Fez investigação no prestigiado Instituto Steklov de São Petersburgo e, no início dos anos 1990, passou uma longa temporada nos Estados Unidos, convidado consecutivamente pelas universidades de Nova Iorque, Stony Brook, Berkeley. Num artigo de 2006 do jornal The New York Times, um colega norte-americano recorda-o nessa altura dizendo que "parecia Rasputin, com o cabelo e as unhas compridas", e que era uma personagem "um pouco de outro mundo - amável, mas tímido e nada interessado na riqueza material". Alimentava-se de pão, queijo e leite e já na altura gostava de apanhar cogumelos nos bosques.  

Teria Perelman abandonado a matemática, o mundo? Teria, talvez, perdido a razão? É frequente ouvir-se dizer que os génios matemáticos sofrem por vezes de perturbações mentais - doença bipolar, síndrome de Asperger, depressão grave, entre outras. 

Ao que tudo indica, o matemático não tinha enlouquecido: estava apenas desgostoso com os seus pares e tinha escolhido, mais uma vez, uma forma peculiar de mostrar o seu desgosto. Estava particularmente enojado com um deles, Shing-Tung Yau, laureado da Medalha Fields em 1982, professor de Matemática em Harvard e nas Universidades de Pequim e Hong Kong. Basicamente, Yau tinha começado por criticar a demonstração publicada em 2002 por Perelman no arXiv.org, argumentando que estava incompleta, e acabado por afirmar, em 2006, que tinham sido investigadores chineses da sua equipa a elaborar a derradeira prova da conjectura.

"Não são as pessoas que quebram as normas éticas que são vistas como estranhas" - explicou Perelman - "São as pessoas como eu que ficam isoladas." E a propósito de Yau, acrescentou: "Não posso dizer que estou escandalizado. Há gente pior. Claro que muitos matemáticos são mais ou menos honestos, mas quase todos são conformistas. São mais ou menos honestos, mas toleram os que não o são." Perelman não é o único a pensar que Yau não acrescentou nada à sua demonstração; eminentes matemáticos concordam com ele - e o prémio que agora foi anunciado é disso mais uma prova. Yau, por seu lado, ameaçou processar os autores do artigo daNew Yorker por difamação, mas acabou por não o fazer.

Uma pessoa estranha mas com uma mente brilhante. A sua reclusão e estatuto de génio matemático podem perfeitamente originar uma história de Hollywood. Tal como Einstein foi um génio, Perelman, ao ganhar tudo o que tinha a ganhar na área da matemática e recusando-se a viver a vida com fama e riqueza, recolhe-se para o seu apartamento na Rússia e dedica-se a apanhar cogumelos no bosque...

Não podemos deixar de ficar indiferentes a esta magnífica história. Temos que ver algo de poético e genial tão particular do comportamento de um ser humano com um génio incrível para as matemáticas, mas com um lado social tão simples...

...uma simplicidade complexa...tal como verificamos na Natureza... 

 (nota: alguma da informação e texto foi extraído de um artigo do Público)

Leia Mais…

Fotos originais...

Esta é a minha favorita. O homem mais poderoso do mundo aconchegado com a estrela de hollywood mais famosa do mundo.

Leia Mais…

terça-feira, 13 de abril de 2010

O melhor post do mundo...

Digam lá se este não é o melhor sketch do Family Guy que já viram?! A criatividade e recursos daqueles gajos não tem limites. Este baseia-se no filme "The ring" onde uma pessoa morre quando vê um filme duma cassete de vídeo.

Enjoy.


(com som)


Ah! Ah! Ah!

Leia Mais…

Scene 11

De todas as séries que vi, esta é a mais bela introdução...com a mais bela das músicas...


Leia Mais…

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Photo XXXVI

Como tem sido um fenómeno de vómito, meto nesta rubrica, duas imagens...



----------------------------------------------------------------------------



(Clicar para aumentar)

Leia Mais…

Pedofilia na Igreja! (e qual é a novidade?)



Esta coisa dos padres pedófilos é uma coisa bastante séria. Tenho tido alguma contenção em escrever sobre isto, porque sei que a minha relação com a Igreja não é a melhor.

No entanto, com as constantes notícias de padres pedófilos que obtiveram cobertura por parte da Igreja, apenas posso dizer o seguinte, sem querer faltar ao respeito dos crentes.

(CENSURADO)
>|FILHOS DA PUTA CABRÕES DO CARALHO QUE HAVIAM DE MORRER COM ESPETOS ENFIADOS NO CÚ, AQUELES CABRÕES DUMAS PUTAS, QUE VIOLAM CRIANÇAS DEVIAM DE ARDER COM GARFOS NOS OLHOS, CAMELOS DE MERDA, OS FILHOS DUM CABRÃO |<
(para ver, seleccionar o texto acima com o rato)

Agora vamos à parte racional.
Quando lemos que a Igreja tem mantido em segredo estes casos todos, não devemos ficar surpreendidos. Temos que ver a Igreja como um negócio. Algo em que as más notícias ficam no seio da empresa, enfiados em sacos negros e enterrados a sete palmos abaixo do solo. Má publicidade significa prejuízos monetários e de "massa associativa". É óbvio que o presidente da empresa (Papa) tem que autorizar o secretismo. Há que lavar a roupa suja dentro de casa.

O problema desta perspectiva é que a Igreja não é uma empresa. Na sua raiz, a Igreja é uma instituição aberta que visa os ensinamentos sobre Jesus Cristo. Não tem como objectivo lucrar dinheiro.

Mas a verdade é que é um antro de merda.

Creio que me alongar sobre este tema é apenas misturar palavreado caro, com berjeiradas. Não há outra maneira de abordar o monte de esterco que é a Igreja. Cada vez mais me agonia todo aquele falso puritanismo...

A esses animais não desejo bem nenhum.

E em relação ao camelo do Papa que encobriu pedofilia, ainda antes de ter sido escolhido para ser Papa, espero que o prendam no UK.


Leia Mais…

Uma realidade alternativa para Neil Perry...



Não consigo parar. O meu cérebro não me deixa.

Eu comecei a escrever o texto sobre as semelhanças do Dr. House com Sherlock Holmes há mais de uma semana atrás, mas devido à falta de tempo, deixei-o assim em arquivo e só hoje peguei nele novamente.

Desse texto, passo a escrever de seguida um novo post inserido na rúbrica "Scenes". Até aqui tudo bem. A minha intenção inicial era colocar o discurso final de Al Pacino do filme Advogado do Diabo, como já vinha pensando há uns dias. Mas não sei porquê, houve aqui um neurónio (o único sobrevivente) que estalou e decidi meter uma cena de Good Will Hunting com Robin Williams.

De seguida, outro neurónio (o que estava a recuperar de coma) estalou e vi pela primeira vez que a barba de Robin Williams afecta a qualidade dramática dos seus filmes. No final desse post, adicionei uma excepção à regra que é o filme Dead Poets Society (O Clube dos Poetas Mortos).

Depois começo a ver um episódio (escolhido ao acaso) do Dr. House e vejo que há mais uma referência a Sherlock Holmes, o que me leva a escrever o post anterior. Depois de o ter escrito, continuo a ver o mesmo episódio que se passa durante a época natalícia...quando um outro neurónio (o que estava escondido) estalou e fez-me lembrar de uma curiosidade que eu notei no primeiro episódio de Dr. House que vi na vida.

Já vão perceber o porquê deste texto todo...

Conhecem o melhor amigo de Dr. House?



É este aqui.
Chama-se Dr. James Wilson e é interpretado por Robert Sean Leonard. Este actor também entrou num outro filme - O Clube dos Poetas Mortos. Neste filme, a sua personagem (Neil Perry) era um estudante de liceu que tinha um pai que queria que fosse médico...


Neil Perry

- Para quem nunca viu o filme aconselho a parar por aqui! -

Em Clube dos Poetas Mortos, Neil Perry mata-se com um tiro na cabeça durante a época natalícia...

Estão a ver a coisa??

Falei nas semelhanças entre Dr. House e Sherlock Holmes. Depois passei por acaso para uma cena com Robin Williams, o que me levou a escrever a coisa da barba dele (que notei pela primeira vez) e a deixar uma nota no fim acerca do Clube dos Poetas Mortos. Depois vejo um episódio qualquer de Dr. House que se passa durante o Natal e que contém mais uma referência a Sherlock Holmes. Além disso, porque é durante o Natal, lembro-me da incrível curiosidade de que o mesmo actor que deveria ter sido médico em Clube dos Poetas Mortos, interpreta um médico na série Dr. House!!!!!

Pronto.
É oficial. Não tenho mais neurónios...

Leia Mais…

Dr. House = Dr. Joseph Bell



Há coisas na vida que são do catano mesmo.
Acabei de escrever há cerca de 2h um post sobre as semelhanças entre Dr. House e Sherlock Holmes. Como podem ler aí, Sir Arthur Conan Doyle criou a personagem de Sherlock Holmes baseando-se num médico da vida real chamado Joseph Bell.

Agora estou a ver um episódio de House, que já não via há mais de um ano e que comecei hoje a rever por causa do dito post, e vejo que no episódio 11 da 5ª temporada, o Dr. House recebe uma prenda de Natal. Essa prenda é um livro real chamado:

Manual of the Operations of Surgery

O autor desse livro é nem mais nem menos que Dr. Joseph Bell.
Coincidências é uma coisa do catano e este House está cheio de referências a Sherlock Holmes...

Leia Mais…

A barba de Williams...

Nestes últimos 20 anos, existem três grandes filmes de drama de Robin Williams. E só agora, quando escrevia o post anterior, é que vi que em todos eles, Robin Williams usou barba. Porque os melhores dramas de Williams são aqueles em que ele usa barba, só posso concluir que a barba de Robin Williams lhe confere uma boa interpretação dramática tal e qual como os cabelos de Sansão lhe conferem uma força incrível. Tudo se resume a uma questão capilar...

Leia Mais…

Scene 10



Um grande filme. Mais incrível é que foi escrito por Matt Damon e Ben Affleck. Mais incrível ainda foi terem ganho um Oscar por Melhor Argumento Original.

Esta cena é a cena do filme. Deu a Robin Williams o merecido Oscar para actor secundário.
De notar que Robin Williams é para mim o mais cómico dos actores que alguma vez vi. Tem uma capacidade de criar piadas em nano-segundos. Por isso mesmo é de louvar a sua grande capacidade para mudar de comédia para drama com uma qualidade inigualável. (ver "Despertares")

O filme fala de um miúdo (Matt Damon) com um dom. Ser um génio.
No entanto, é uma pessoa problemática a que Robin Williams (psiquiatra) se encarregou de cuidar.

Esta a cena onde a arrogância de Damon transforma-se em respeito...
Só por este discurso, mereceu o Oscar de melhor argumento.


Leia Mais…

Holmes e House...



Todos nós conhecemos o maior detective do mundo, Sherlock Holmes. Até há um novo (e maravilhoso) filme com Robert Downing Jr. e Jude Law.

Também todos nós sabemos quem é o médico mais cool do mundo: House. A série mais vista do mundo em 2009 já vai na sua 6ª temporada. Gostemos ou não, House é um médico do catano.

O que cedo foi notório, foram as semelhanças entre Sherlock Holmes e Dr. House. Ambos génios nas suas áreas e ambos com um comportamento fora dos standards. Mas a verdade é que quando fui pesquisar, há uns anos atrás, quando House estreou, vi que o criador da série tinha essa intenção. Além da semelhança entre os nomes - House e Holmes - há também a maneira única e igual de dedução de puzzles. Ambos perseguem alvos semelhantes. Um é o criminoso, outro é a doença.

O que eu não sabia era que Sherlock Holmes, criado por Sir Arthur Conan Doyle, era inspirado num médico real - Dr. Joseph Bell.

Outras semelhanças entre House e Holmes podem ser vistas da seguinte maneira:

Sherlock Holmes

Dr. House

O criador de Holmes, baseou-se num médico real

House é um médico

Pode deduzir muita coisa apenas observando uma pessoa

Pode deduzir e diagnosticar uma grande parte, apenas observando o paciente

Usa cocaína para escapar ao tédio

Usa Vicodin para a dor na sua perna, mas também para o tédio e dor de lidar com outras pessoas estúpidas

Holmes chama o seu melhor amigo pelo último nome – Watson

House chama o seu melhor amigo (Wilson) e outros pelo último nome

Arrogante

Arrogante

Preguiçoso quando não está a trabalhar num caso

Preguiçoso até ao limite de ser obrigado a trabalhar

Dr. Watson tem um problema numa perna

House tem um problema numa perna

Música é importante para Holmes. Toca violino

Música é importante para House. Toca piano e guitarra

Reservado para todos menos para o seu melhor amigo

Mantém todos à distância, excepto o seu melhor amigo Wilson

Sherlock Holmes vive em 221B Baker Street

House vive em 221B (não se sabe ainda a rua)



Leia Mais…