quinta-feira, 20 de maio de 2010

A Bruna de Mirandela...



A Bruna de Mirandela tem 27 anos, é fresca e apetitosa. Era professora de Actividades Extra-Curriculares de Expressão Musical. Com um título assim tão grande, não sei se é uma tese de doutoramento ou se um programa espacial da NASA.

Bruna era feliz com a sua vida guiando o seu Mercedes topo de gama que custou ao pai (construtor civil) mais de 50 mil euros. Um dia, Bruna decide meter uns implantes mamários e posar nua para a revista Playboy.

O problema aparece quando a mãe de um dos seus alunos apanha a revista, escondida no armário do marido, e vê as fotos da professora nua. Instala-se de imediato o caos e o pânico em Mirandela.

"Alarme social" é o que lhe chamam. Eu chamo-lhe "histeria de 3º mundo".

Depressa as mães ficam chocadas e rapidamente os maridos correm para ir comprar a revista "para pesquisa aprofundada" - dizem eles.

De imediato Bruna foi afastada da sua actividade com os alunos e está neste momento a trabalhar no Arquivo Municipal de Mirandela com um labrego qualquer cheio de caspa e seborreia.

Para mim, Bruna pode fazer o que quiser. Se quer tirar fotos nuas enquanto come uma sandes de chouriço dentro do seu Mercedes, então dou-lhe todo o meu apoio moral. Se as mães devem ficar chocadas com o facto dos filhos terem nas mãos uma revista erótica, então que tomem é comprimidos para a cabeça e apercebam-se que basta a um miúdo ir ao Google e fazer uma pesquisa de "mamas" que em menos de 1 segundo aparecem milhares de sites com a dita protuberância glandular mamária à mostra. E tudo de borla...

O problema para mim é que a Bruna é uma professora. E creio eu que trabalha com alunos bastante jovens. E entre um professor e um aluno deve existir sempre uma linha de respeito. Uma linha que separa entre a brejeirice do aluno dizer "epá, não percebo um caralho desta merda. Podes repetir profe?!" do "Não percebi professor. Podia repetir?". Tal como um jogador de futebol respeita as ordens do Mourinho, também um aluno deve respeitar a autoridade e presença do professor. No entanto, deve respeitar sem nunca ter medo e ter sempre a liberdade de questionar o que o professor diz. E o professor não deve abusar desse respeito transformando-o em medo.

A relação entre rendimento da aula e respeito traduz-se neste gráfico que fiz.



É possível ver um ponto óptimo de rendimento - o vértice da parábola. De ambos os lados desse vértice, o rendimento começa a diminuir até ao ponto nulo de respeito (alunos a mandarem cadeiras para cima do professor) ou até ao ponto oposto onde o respeito converte-se em medo (como acontecia antigamente).

Se a Bruna trabalhasse no balcão do Jumbo ou na Repartição de Finanças, então não estaríamos a ter esta conversa. O problema é que Bruna lida com jovens que devido à sua idade tenra ainda não são capazes de ver as fotos como um simples acto artístico. Para eles é motivo de gozo. É motivo de fofoca. De sussurrar piadinhas durante a aula e trocar papelinhos com desenhos das enormes mamas da professora. Cada vez que Bruna tiver que ir à mesa de um aluno para explicar algo, e tenha que se debruçar, haverá um aluno mais rebelde lá atrás que irá mandar uma boca foleira. Isso irá quebrar a fluidez da aula, tendo que Bruna perder o seu tempo, esforço e paciência para acalmar a turma e recuperar essa fluidez novamente. Saem todos a perder...menos as mamas da Bruna.

Eu não sou professor, mas acredito que dar aulas a miúdos novos deve ser hiper stressante. Deve ser muito difícil de controlar uma sala de aula repleta de miúdos que são crianças ainda. Não se conseguem concentrar por muito tempo, não querem estar ali a trabalhar, querem dar nas vistas e estar sempre a mandar bocas foleiras. Por isso é que os padres tratam logo de entupir a via oral...

E também é por isso que deve ser super difícil de arrancar o respeito dos alunos mais novos. E ainda mais difícil será quando os alunos têm na mão as fotos das mamas da professora.

Creio que para a Bruna não basta ter concluído a licenciatura em Ensino Básico e ter o título de professora para ser reconhecida como uma professora. Tem que parecer uma professora. Isto para dizer que temos que nos comportar ao nível do título que temos, para o merecermos. E sem querer interferir com a sua liberdade pessoal que defendo até à morte, creio que todos nós temos direitos e também deveres. E ela exerceu do seu direito, mas não cumpriu o seu dever para com os alunos...

Se a devem afastar ou não, sinceramente não me compete a mim decidir isso. Creio que se as condições dentro da sala de aula se mantiverem ao nível exigido, então que continue a ensinar a mexer na flauta e no órgão. No fundo, a questão aqui não se baseia na capacidade profissional da Bruna. Baseia-se no nível de maturidade e educação dos alunos...


10 Comentarios:

Tony do benfica disse...

parece que a careta lá em baixo morreu de mau cheiro...

Anónimo disse...

Para que afirma explicitamente que não é professor, pareces ter uma ideia bem clara (e sobretudo) descritiva do que sucede numa sala de aulas.

Então, se percebi bem, tudo bem que a D. Bruna continuasse a dar aulas (já agora, pequena correcção: não é professoa, mas sim auxiliar) desde que os "putos" tivessem pelo menos 18 anos, para perceberem que são apenas fotos artisticas. Como tem menos de 18 anos, a Bruna fica simplesmente reduzida na sua liberdade individual. Certo?

xiquinho o patarata disse...

Eu como um verdadeiro amante das liberdades individuais das pessoas estou inteiramente de acordo com tudo o que escreveu.Hà no entanto a questão principal deste problema---é que à mulher de César, não basta Ser......é preciso também Parecer.
Falando agora das mamas da gaja que são de cilicone e devem dar um jeitão um gajo mergulhar o focinho (e não só) naquelas enormes protuberâncias.
Ai não que não é bom!!!!!!!!!!

Angel disse...

Falo por experiência qd digo q é mt difícil, hoje em dia, ter o merecido respeito dos alunos, simplesmente pq eles ñ estão habituados a respeitar regras, ordens ou pessoas mais velhas q eles (alias, nem se respeitam uns aos outros). Os rapazes, principalmente, olham p a professora q é gira e começam logo c boquitas e piadas... mesmo sem a professora ter feito algo p tal.. Agora neste caso, a partir do momento em q a Bruna decide trabalhar c crianças (q vão desde os 7 aos 10 anos de idade), tem q fazer escolhas na vida, q inevitavelmente se vão reflectir na sua via profissional.. E correu-lhe mal esta última decisão.. Agora apenas uma observação: lá pq ela dava aulas de Educação Musical, ñ é necessariamente licenciada em Ensino Básico; basta ter alguns anos de conservatório ou um curso superior musical p poder dar aulas de Enriquecimento Curricular de Música, pois estas aulas não fazem parte do currículo regular dos alunos.

johnnie walker disse...

xiquinho o patarata: Gosto de saber que as minhas palavras encontram sempre alguém que está de acordo. De facto, é tão importante PARECER, como o SER.

Angel: De facto, esta decisão correu-lhe mal. Agora terá que sair do buraco onde se meteu.

Anónimo: Não é preciso ter 18 anos para ter maturidade mental. E também não é só uma questão de maturidade. É uma questão de educação que parte de casa. E não vamos estar aqui atirar areia para os olhos, a verdade é que miúdos de 7 a 10 anos, SÃO crianças ainda. E muitas delas são malcriadas. Não por sua culpa, mas por culpa de todos nós... É verdade que não quero tratar os meninos como se fossem os culpados. Se a Bruna quer entrar na aula nua, então que entre. Mas que se aperceba que isso vai ter consequências.

Angel& Anónimo: Acerca do facto de ser Professora ou Auxiliar, sinceramente não sei. Mas pela notícia do Jornal de Notícias online diz: "A jovem possui uma licenciatura de professora do Ensino Básico, que concluiu com boas notas no Instituto Piaget, e tenciona continuar a dar-lhe uso."

aqui: http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Bragan%E7a&Concelho=Mirandela&Option=Interior&content_id=1573979

JB disse...

...é pá...polémicas à parte...

...gostei daquele pequeno excerto onde tiras uma incrivel ilação:

(...)"Por isso é que os padres tratam logo de entupir a via oral..."(...)

...está explicado o fenómeno que atinge a Igreja à séculos...

johnnie walker disse...

e mai nada!
sem querer ser malandro:

padre = pedofilia!!!

ajhajhahahahaha

Pikaxouriços disse...

Oh amigo JB..
O que é que tem a ver o facto da gaja posar nua para uma revista da especialidade mostrando o que você nem eu tenho com......os padres??????
A que propósito faz mais um dos seus ,já sobejamente conhecidos comentários, quanto aos padres atacando de forma muito pouco polida a Igreja????
Será algum recalcamento de infância? Será que quiz ser padre e não conseguiu? Será que andou nalgum colégio de padres?
Sinceramente não percebo,quais os motivos, que o levam a ,constantemente criticar os seus amigos...... padres!!

Pikaxouriços disse...

Oh amigo JB..

O que é que tem a ver o facto da gaja posar nua para uma revista da especialidade mostrando o que você nem eu tenho com......os padres??????
A que propósito faz mais um dos seus ,já sobejamente conhecidos comentários, quanto aos padres atacando de forma muito pouco polida a Igreja????
Será algum recalcamento de infância? Será que quis ser padre e não conseguiu? Será que andou nalgum colégio de padres?
Sinceramente não percebo,quais os motivos, que o levam a ,constantemente criticar os seus amigos...... padres!!

johnnie walker disse...

Combate: Pikaxouriços vs JB
Arbitro: DEUS