quarta-feira, 3 de novembro de 2010

8 pen...



Cá está meus amigos. Aqui em Cambridge não se brinca.

Um amigo meu aqui do Kings College chamado Volker Schlue (a fazer um Doutoramento em Matemática) teve uma ideia e demorou cerca de 10 horas a passar essa ideia para o papel. Depois disso, chamou um amigo (Michael Fester - outro a fazer Doutoramento em Matemática) que é bom em informática e pediu-lhe para que passasse essa ideia do papel para a realidade. Esse amigo demorou cerca de 2 meses para escrever o programa. O resultado:

8 pen.

É simplesmente uma nova forma revolucionária de escrever nos telemóveis touch (smartphones) em que em vez de aparecer o típico teclado virtual e a gente estar ali a tentar acertar com o dedo na tecla correcta, a escrita torna-se mais intuitiva e fácil de concretizar. Admito que pode demorar algum tempo para aprender, mas depois de termos a prática a coisa flui na boa.

Colocou o vídeo no youtube ontem e hoje já o seu nome aparecia no New York Times como referência. O teste está a ser efectuado nestas 24 horas (ou 48h) em que qualquer utilizador do Android (o "Iphone" do Google) está a oferecer o programa para os utilizadores experimentarem.

Entretanto estive a falar com o Volker e ele estava a dizer que estava nervoso com o resultado. Provavelmente ele irá fazer bastante dinheiro com uma ideia que demorou cerca de 10 horas.

Para mim é fantástico testemunhar estes acontecimentos...

Vamos lá ver se o "8pen" levanta voo e começa a ser algo comum nos smartphones no futuro.

O vídeo aqui: http://www.the8pen.com/

2 Comentarios:

JB disse...

Não é ser ranhoso nem nada...

mas desde que possuo o Fujitsu TouchScreen do INE, que me surgiu uma ideia semelhante... seria genial (mas muito difícil com os meus recursos)criar um teclado de quadrantes... só que, na minha ideia, a busca de letras não era feita por rotação... era feita com impulsos do cursor feito com o dedo dentro de cada quadrante.

Ao impulsionar o cursor do centro para a periferia ele voltaria automaticamente ao centro, como uma 'mola'. Um impulso e escolhia a primeira letra, dois a segunda e assim sucessivamente, quase à semelhança da escrita normal das SMS (3 letras por tecla). a palavra terminava com 2 toques no centro.

E não seriam 4 'quadrantes' mas 8.

Mas como é óbvio, estou a dizer isto depois de alguém já o ter feito...e o que digo vale o que vale...

como posso então provar que já tinha pensado nisso antes?... não posso... mas...

Mas, bom, acontece que quem usa de uma forma sistemática um touchscreen sabe que quanto mais tempo percorrer o écran tocando-o, mais aumenta probabilidade de existir um erro de leitura e de calibração... com impulsos curtos e toques rápidos isso não acontece tão frequentemente...

Acho que a ideia do teu amigo poderá ter ai o seu 'calcanhar de Aquiles'.

Fica bem

johnnie walker disse...

hmm

Creio que da proxima vez que tiveres uma ideia semelhante..tens que me dizer ou comunicar com a tua grande irma que trabalha numa area semelhante e que TEM os recursos e staff para passar do desenho para a pratica..

O brilhantismo vem quando identificamos os problemas e criamos as solucoes..por isso eh estar atento...ha imensas oportunidades por ai fora...